Um pouco da vida de Rui Tomás Barbosa
    voltar para a página do GIRO MIX

Campinas seguia seu ritmo de progresso e desenvolvimento, em 1959.

Enquanto isso, nas Minas Gerais, mais precisamente na pacata Alterosa, um homem, hoje misto de jornalista e fotógrafo, então um também pacato garoto de apenas 7 anos de idade, acalentava o ideal de residir na terra de Carlos Gomes.

E os bons fados o trouxeram para nossa cidade, que maravilhou seus olhos e lhe desvendou um mundo trepidante, diferente do sossego que vivia em Minas Gerais.

Mas, era preciso lutar, lutar muito para poder vencer e o garotinho, que trazia em seu nome uma alta responsabilidade, se evocarmos o imortal baiano Rui Barbosa, também era Rui, RUI TOMÁS BARBOSA e começou a "vencer" a cidade de Campinas, trabalhando inicialmente como engraxate no Largo do Rosário, cenário romântico de um tempo que passou. Outros desafios vieram: Guardinha de trânsito (ainda bem que naquele tempo o trânsito não era tão violento!), depois Office boy (assim se chamava) do então Advogado Dr. Orestes Quércia, que o tempo revelaria depois como um dos mais importantes políticos de todos os tempos, no Brasil.

Mas, RUI TOMáS BARBOSA desejava crescer mais, progredir mais. Seguiram-se empregos diferentes como: auxiliar de fiscal no Aeroporto de Viracopos, bancário, inspetor de seguros, Assessor de imprensa dos Comandantes da Policia Militar de Campinas, Coronéis élzio Lourenço Nagalli e Antônio Fernando Galaso, Diretor de Comunicação da ACI - Associação Campineira de Imprensa, etc.

Porém, RUI TOMáS BARBOSA guardava ciosamente dentro do coração seu verdadeiro ideal: fotografia e jornalismo, profissões que quando deixara Alterosa, lhe pareciam extraordinariamente distantes!

Vinte e dois anos se passaram, anos de lutas, porém de muitas vitórias. Pouco a pouco, devagar (como um bom mineiro) RUI TOMáS BARBOSA foi conquistando o coração generoso de Campinas e aqui fincou, definitivamente, sua morada e alargou seus horizontes.

Assim, em 1981, o já então conhecido, respeitado e famoso RUI TOMáS BARBOSA decidiu conhecer novos mundos, outras culturas e, num dia inesquecível, embarcou para a Europa - mais precisamente para Portugal e depois a Suíça - onde, num dos mais conceituados hotéis do mundo, o Derby Hotel, na cidade de Will, desempenhou as funções de recepcionista noturno, durante algum tempo.

A Itália seria seu novo porto. Lá, ancorou a nau de seus sonhos. A convite de nosso querido Dom Agnello Rossi, cardeal que ocupava o terceiro posto na hierarquia católica do mundo e seu particular amigo, permaneceu hospedado no Vaticano, precisamente no Colégio Pio Brasiliano, durante cerca de dois meses, ocasião em que teve oportunidade de participar de várias solenidades oficiais, dentre as quais a festa de dois anos de pontificado e aniversário de João Paulo II, em companhia dos atletas brasileiros Falcão, Cerezo e outros.

Se a convivência com cardeal Dom Agnello Rossi lhe trouxe inesquecíveis lembranças, que certamente jamais deixarão seu coração, também serviu para cimentar sua cultura internacional, hoje tão importante em sua vida profissional.

Retornou ao Brasil um ano depois, ocasião em que se candidatou a vereador pela primeira vez, obtendo expressiva votação, que infelizmente não foi suficiente para lhe garantir uma cadeira no legislativo campineiro. Novamente, quatro anos depois, disputou nova eleição, repetindo uma votação ainda melhor, que lhe garantiu uma segunda suplência.

Paralelamente, RUI TOMáS BARBOSA foi ampliando sua ação no jornalismo fotográfico, ocasião em que fundou em 1983 o jornal "Mineirão", homenagem aos seus conterrâneos e que se constituiu em legítimo sucesso, tendo fundado, também, a até hoje conhecida e respeitada "Associação dos Mineiros residentes em Campinas", uma vez que nossa cidade possui, talvez, o maior contingente de Mineiros do País, sendo a mais populosa "cidade Mineira" fora de Minas Gerais, haja vista que tivemos 4 Prefeitos Mineiros, vários Vereadores e Deputados.

O jornal "Folha de Campinas", cuja sede se localizava em Barão Geraldo, foi à nova trincheira de lutas e de vitórias de RUI TOMáS BARBOSA. Naquele jornal, era responsável pela coluna social, por onde desfilaram praticamente todos os nomes mais famosos da cidade.

Outras colunas sociais criadas e mantidas por RUI TOMáS BARBOSA: revista "Country Mix", "Book Mix", jornais Roteiro, City News, Notícias Metropolitana, Diário de Notícias de São Paulo, Diário do Interior, Gazeta Metropolitana, Acontece Regional, Jornal do Centro, folha de Campinas e finalmente Jornal RMC, onde permanece até hoje com sua coluna "Giro Mix".

Dos títulos que já recebeu ao longo da carreira de jornalista foram:
- Em 17 de setembro de 2003 - MéRITO JORNALISTICO - autoria do então vereador Luiz Franco.
- Em 10 de agosto de 2007 - MEDALHA DE MéRITO FOTOGRáFICO "HéRCULES FLORENCE" de autoria do Vereador Antônio Flores.
- Em 2007 fui agraciado com o "TíTULO DE CIDADãO CAMPINEIRO" de autoria do Vereador Antônio Flores.
- Em 21 de novembro de 2013 recebo das mãos do Vereador Luiz Henrique Cirilo o "DIPLOMA DE MéRITO CULTURAL".

Eis uma pequena biografia de um profissional: RUI TOMáS BARBOSA, figura respeitada em Campinas, porque exerce suas profissões - jornalismo e fotografia - com a mesma competência, honestidade, discrição e arte.

RUI TOMáS BARBOSA é hoje, um dos mais legítimos orgulhos de uma cidade que o acolheu quando garoto e agora o ama e respeita como homem, homem de crença, de fé, de esperanças num mundo melhor!



F. Vidal Ramos
Advogado, Jornalista e Radialista. (in memoriam)


 
SOS Impressoras
Rádio Novo Tempo Campinas
Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas

.: Acessos: 7.155.269 :. | .: desde Agosto/2007 :. | .: contato: imprensa@jornalrmc.com.br :. | .: desenvolvido por: LINDEMUTH Comunicação :.