Fazendo uma fezinha

Compartilhar no Facebook

Enviar por email Imprimir este artigo
Silvestre Gonçalez
silvestre@desktop.com.br
 

A maioria da população nutre o desejo de se tornar milionária da noite para o dia. Afinal de contas quem não quer entrar para o clube dos ricos? Você tem esse desejo no coração? Qual é a estratégia que você está usando para chegar lá? Existem muitas fórmulas, mas qual a mais certa?

Umas conseguem entrar para esse seleto clube através de uma herança da família ou casando com alguém desse clube, outras com muitos anos de investimentos, outras entram de formas ilícitas e tem ainda aquelas que entram por pura sorte.

No caso de buscar a sorte ou ir de encontro com ela, faz com que muitas pessoas arrisquem um palpite numa casa lotérica ou usa outros meios. As opções são inúmeras basta escolher e fazer a suas apostas.

Você pode optar por qualquer um desses palpites para apostar e encontrar a sua sorte: dupla sena, quina, lotomania, lotofácil, loteca, time mania, loteria federal e a mais procurada que é a mega-sena. Existem outras maneiras também, como participar de promoções de empresas com prêmios em dinheiro, concursos culturais, título de capitalização, ou ainda, viajar para um país onde o cassino é liberado, como Las Vegas.

É inacreditável como pessoas bem sucedidas financeiramente também procuram aplicar seu dinheiro nestas apostas. Será que elas não estão satisfeitas com que têm ou são pessoas insaciáveis? Não condeno quem procura fazer uma fezinha, mas as possibilidades de ganhar são poucas. Será que o impulso para os jogos são maiores do que a razão? Se verificar o número de apostadores nos prêmios acumulados à resposta é sim.

Praticamente todas as pessoas procuram à independência financeira e a maioria acredita que a estratégia mais rápida é através de jogos. Algumas conseguem até chegar por essa via, mas a grande maioria fica assistindo essas pessoas que ganharam a desfrutar esse prêmio.

A dúvida que persiste no coração é quando um dia ganhar uma tremenda “bolada” em dinheiro, o que fazer com ele? Muitas têm a resposta na ponta da língua.

Umas dizem que irá ajudar a família e entidades assistenciais, outras que aplicarão em imóveis e viajarão pelo mundo a fora. E têm aquelas que deixarão o dinheiro aplicado no banco para render juros.

De uma coisa eu tenho certeza, que quando eu ganhar uma “bolada” em dinheiro, daquele dia em diante a minha vida não será a mesma.







Silvestre Gonçalez
Jornalista, publicitário, pós–graduado em Administração e Marketing.
Email: silvestre@desktop.com.br




Mais textos deste colunista:
Passado no presente
Palavras
Sonhos
Maldade
Destacar-se
Distanciamento
Planejamento
Teimosia
Confiança
Escolha
Perseverança
Gratidão
Esperança
Valorize-se
Humildade
Ansiedade
Desapego
A tecnologia nos distancia
Aproveitando as oportunidades do Marketing
Removendo as máscaras
Novo perfil econômico de Sumaré
Os perigos das redes sociais
Uma paixão nacional
Um recado aos políticos
Presente de Natal
Superando suas metas
Afinal, qual é o seu talento?
Inimigo dos relacionamentos
Deserto financeiro
O impacto do desânimo
Atitudes de algumas pessoas
Não ceder à corrupção
Escassez de profissional especializado
Investindo no futuro
Déficit habitacional na RMC
Nota fiscal solidária
Energia com sustentabilidade
Como é bom ser brasileiro
Perigo no trânsito
A inveja destrói
Você é feliz no seu trabalho?
Use a raiva a seu favor
Chega de empurrar com a barriga
Em busca do conhecimento
Traçando objetivos
Pra que sofrer?
Superando as adversidades
Aproveitando melhor o tempo
Quebrando a rotina
O valor da disciplina
A intolerância com os outros
Reta final
Você decidiu em quem votar?
Voto Regional
Meu voto não tem mistério
Faça parte dessa história
Por que Sumaré merece ter Deputado?
Networking gera benefícios e amplia relacionamentos
O perigo da murmuração
O que faz um deputado?
Espírito empreendedor
Em quem você votou nas últimas eleições?
Água, líquido precioso
O prazer em viajar
Entre vitórias e derrotas
As aparências enganam
Ecologicamente correto
A experiência de um sábio
Acreditar é diferente de confiar
Política se discute?
A Influência da Assessoria na Liderança
Os olhos não mentem
Fale menos, faça mais
2012 será o fim do mundo?
Crescimento desorganizado provoca reações da natureza
Aos meus amigos
Sustentabilidade para garantir futuras gerações
Natal, presente de Deus

COMENTE ESTE ARTIGO:
Nome:
Email:

(0 / 255)
O tamanho máximo do comentário é de 255 caracteres.
Atenção!
Você irá receber um email para confirmar seu comentário para que o mesmo seja publicado nesta página, portanto o campo Email é de preenchimento obrigatório e, ao enviar, você assume a responsabilidade pelas suas palavras inseridas neste comentário.
*NOTA : o JornalRMC abre esse espaço para que nossos colunistas exponham, de forma voluntária, seus pontos de vista sobre os assuntos em que são especialistas. Dessa forma, as opiniões apresentadas são de única e exclusiva responsabilidade dos mesmos, não refletindo necessariamente a opinião do portal e de seus editores.

 
SOS Impressoras
Rádio Novo Tempo Campinas
Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas

.: Acessos: 7.444.489 :. | .: desde Agosto/2007 :. | .: contato: imprensa@jornalrmc.com.br :. | .: desenvolvido por: LINDEMUTH Comunicação :.