Meio Ambiente - Nossa vida por um fio

Compartilhar no Facebook

Enviar por email Imprimir este artigo
 

Lemos h√° tr√™s anos, um texto onde o autor questionava a m√≠dia em geral que criou o voc√°bulo duplo ‚ÄúMeio Ambiente‚ÄĚ. O questionamento era: ‚ÄúPor que Meio Ambiente, se o preferimos inteiro‚ÄĚ? Faz sentido. Temos acompanhado esse tema ao longo de duas d√©cadas e ao inv√©s de esgotar o assunto, est√° mesmo √© em pleno crescimento. √Č lenha na fogueira. As na√ß√Ķes est√£o √†s voltas com esse nome nas a√ß√Ķes governamentais, a m√≠dia tem ocupado espa√ßo, cada vez mais em destaque. As empresas est√£o revendo seus pap√©is e as ONGs, abrindo caminhos para a preserva√ß√£o urgente do que est√° sobrando.

Do Brasil, para o mundo, estamos exportando oxig√™nio atrav√©s da nossa Amaz√īnia, que funciona como o pulm√£o verde do mundo, juntamente com as reservas florestais da √Āsia. Al√©m da selva, ainda um extrato de grande riqueza √© a bio diversidade com a fauna e flora exuberante que possu√≠mos. Tudo isso garantindo a sustentabilidade para o sistema e para as pessoas. O problema maior e o clamor geral, √© que estamos participando e sendo testemunhas vivas da degrada√ß√£o de todo esse colossal aparato da vida. Seja na produ√ß√£o de res√≠duos, seja na destrui√ß√£o das riquezas n√£o renov√°veis.

Estamos como cupins, destruindo nossas reservas florestais e virando a terra em busca de riquezas, criando riscos incalcul√°veis nos mananciais, com merc√ļrio, comprometendo a piscicultura nos rios e na costa brasileira e at√© mesmo com o consumo de √°gua comprometida com metais pesados, desenvolvendo c√Ęncer nas popula√ß√Ķes ribeirinhas onde se busca o mineral amarelo. Vale a pena fu√ßar a terra e criar desequil√≠brio no ecossistema? E o que dizer dos riscos das eros√Ķes e o assoreamento dos rios, com a agricultura tomando as margens? Ser√° que estamos num beco sem sa√≠da? Essas perguntas s√£o pertinentes e ao mesmo tempo, nos imp√Ķe profunda reflex√£o.

Em Hortol√Ęndia, o tempo est√° mudando. √Č tempo de reflex√£o sobre o verdadeiro sentido do nome da nossa Cidade. A Cidade Horto est√° voltando a ser o que sempre deveria ser. Pra sair do papel e da hipocrisia, a pol√≠tica do governo municipal agora √© de restaura√ß√£o do nosso pequeno, mas mui querido Rio Jacuba e nossas lagoas do Amanda e Santa Clara do Lago. A recupera√ß√£o e preserva√ß√£o est√£o sendo levadas a s√©rio. A limpeza em suas margens √© um verdadeiro primor. O viveiro municipal, no Parque Irm√£ Dorothy est√° cumprindo o seu papel, fornecendo mudas para arborizar a cidade e tentar baixar as altas temperaturas que temos, em decorr√™ncia do d√©ficit de √°rvores. A Secretaria do Meio Ambiente est√° trabalhando a todo vapor para dar um toque de verde em nossas ruas. Estamos fazendo campanha contra as queimadas e construindo um cintur√£o de prote√ß√£o ambiental para o hoje e para as gera√ß√Ķes futuras.


Ary Goiano
Professor de Educa√ß√£o F√≠sica, Pedagogo e p√≥s-graduado em Doc√™ncia do Ensino Superior. Atuou como professor no IASP. Gestor escolar na rede de escolas adventistas. Rela√ß√Ķes estudantis em Goi√°s ‚Äď An√°polis. Gestor do Lar Infantil de Areal - RJ - ligado ao IGASE/Golden Cross. Concep√ß√£o editorial do "Acontece em Hortol√Ęndia" - revista mensal de Esporte, Cultura e variedades, da Prefeitura de Hortol√Ęndia
Email: arygoiano@hotmail.com




Mais textos deste colunista:
Repensando o Natal
Libertas Quae Ser√° Tamen
E agora, Hortol√Ęndia?

COMENTE ESTE ARTIGO:
Nome:
Email:

(0 / 255)
O tamanho máximo do comentário é de 255 caracteres.
Atenção!
Você irá receber um email para confirmar seu comentário para que o mesmo seja publicado nesta página, portanto o campo Email é de preenchimento obrigatório e, ao enviar, você assume a responsabilidade pelas suas palavras inseridas neste comentário.
*NOTA : o JornalRMC abre esse espaço para que nossos colunistas exponham, de forma voluntária, seus pontos de vista sobre os assuntos em que são especialistas. Dessa forma, as opiniões apresentadas são de única e exclusiva responsabilidade dos mesmos, não refletindo necessariamente a opinião do portal e de seus editores.

 
SOS Impressoras
Rádio Novo Tempo Campinas
Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas

.: Acessos: 10.651.328 :. | .: desde Agosto/2007 :. | .: contato: imprensa@jornalrmc.com.br :. | .: desenvolvido por: LINDEMUTH Comunicação :.