Preparação para o casamento

Compartilhar no Facebook

Enviar por email Imprimir este artigo
Maria Regina Canhos Vicentin
contato@mariaregina.com.br
 

Faz pouco tempo fui convidada para fazer uma palestra num curso de noivos. Isso acontece com regularidade, pois muitos sabem que trabalho há anos com casais nas Varas de Família e também em consultório particular, tendo inclusive escrito um livro sobre relacionamento a dois (maiores informações no site: www.mariaregina.com.br). Sinto prazer em poder contribuir com orientações aos jovens namorados, preferencialmente atuando de modo preventivo, pois como diz o ditado: prevenir é sempre melhor que remediar. Nesse sentido, aquele encontro foi para mim uma grande decepção.

Muitos casais me olhavam aparentemente perguntando o que estavam fazendo ali. Vários já se encontravam “grávidos”, ostentando barriguinhas de até sete ou oito meses. Alguns ainda dormiam vez que o encontro aconteceu no período da manhã. Falei em torno de cinquenta minutos, ressaltando os compromissos entre os pares e deles para com a prole. O espanto foi geral. Ninguém caiu da cadeira, mas os que dormiam acordaram rapidinho. Aqueles olhos arregalados me fizeram refletir sobre como nossos jovens estão se casando despreparados. Para eles vale a máxima: se não der certo a gente se separa. E os filhos? Ah, quem se preocupa com filhos? Aliás, quem são os filhos?

Num mundo em que a adolescência termina cada vez mais tarde, e encontramos inúmeros trintões adolescentes, seus filhos são apenas concorrentes vistos com desconfiança. Aliás, o hit do momento é brincar de casinha. As pessoas querem se casar porque desejam colocar aquele terno e o vestido de princesa, com coroa e flores. Depois viajar para cenários mágicos, curtir momentos incríveis a luz de velas, regados a um bom vinho ou champanhe. Que maravilha!

A complicação começa com o desafivelar das malas, pois elas voltam com várias roupas sujas que precisam ser lavadas. Se o bebê já está encomendado, como acontece muito, logo tem também chorinho em casa. Facilmente os adolescentes se cansam, pois brincar de casinha tem suas implicações e não dá para guardar o bebê no guarda roupa logo que a brincadeira acaba. Alguém tem de cuidar dele até que cresça. Normalmente é a vovó, pois papai e mamãe seguem buscando outros amiguinhos para tornar a brincar de casinha e fabricar novos bonequinhos para que os outros cuidem.

É triste, mas é a realidade. Nossos jovens não estão preparados para assumirem as responsabilidades inerentes ao casamento. Preocupam-se com o supérfluo e descuidam do essencial. Não sabem que os verbos a serem conjugados do início ao fim são: amar, perdoar e, principalmente, renunciar! Ambos se concentram, cada qual em seu próprio projeto, e não conseguem abrir mão dele em prol da família agora constituída.

Terminada a palestra não se ouvia um “piu”. Ninguém fez perguntas. A maioria de olhos esbugalhados e boca aberta. Foram convidados a tomar o café mais cedo já que nenhuma indagação surgiu. Ninguém se mexeu. Imóveis, eles continuavam me olhando. Pareciam ter medo de se levantar. Precisei pegar o microfone novamente e dizer que realmente eu os estava dispensando mais cedo para o café e que eles poderiam se levantar e ir. Só então saíram, e eu fiquei com a terrível sensação que caminhavam quase todos como ovelhas sem pastor.


Maria Regina Canhos Vicentin
Natural de Jaú/SP. Formou-se em Psicologia pela USP de Ribeirão Preto e em Direito pela Instituição Toledo de Ensino de Bauru. Especializou-se em Educação pela Faculdade Claretianas de Batatais. Psicóloga Judiciária no Fórum da Comarca de Jaú. Profissional Especialista em Psicologia Clínica e em Psicologia Jurídica.Autora dos livros: Buscando a Felicidade (Ed.Celebris), Sementes de Esperança (Ed.Santuário), Temas do Cotidiano (Ed.Santuário), e Superdicas para ser feliz no amor (Ed.Celebris). Agente de Pastoral da Evangelização da Paróquia de São João Batista em Jaú (SP) escreve regularmente para diversos jornais; entre eles, Folha da Região (Araçatuba – SP) e O Lutador (Belo Horizonte – MG), além da Revista O Mensageiro de Santo Antônio (Santo André – SP), e Família Cristã Online (São Paulo – SP).
Email: contato@mariaregina.com.br
Site: www.mariaregina.com.br




Mais textos deste colunista:
Tolerar; até quando?
Sofrimento: prova de Deus ou armadilha do diabo?
A alegria e o prazer
O tempo de Deus
A mudança que dói
Dia Internacional da Mulher
Proteção de Deus
O mal versus o bem
Adeus ano velho, feliz ano novo
Nasce uma esperança
Eu sinto isso
Aumento dos casos de estupros no Brasil
Finados
Criança – Sujeito de direitos
Relacionamentos que fazem sofrer
O sucesso
Quando um amor se vai...
A onda de violência
Mude o Brasil, mas comece por você!
Dia dos namorados
A dura carga da mulher
Mulher-Mãe
A importância da autoestima
Pais que exigem demais
Um dia de prostração
A intolerância
Páscoa
Em nome do amor
Os grandes golpes da vida
A mulher e suas muitas faces
Família
O papa coragem
A importância de viver cada dia
Trabalho infantil
Prestígio
Maternidade tardia
Mudança de olhar
Feliz Natal!
Preparai o caminho...
O que é o livre-arbítrio?
O fim do casamento
A pregação da Palavra
Doutrinas
Escrevendo sobre o óbvio
A afeição dos animais
Quinze anos
Quaresma – Tempo de mudança
Presente de aniversário
O sexo pelo sexo
A era das pseudoatitudes
Correndo contra o tempo
Uma reflexão sobre o relato de Viktor Frankl
Um grande amor
Lei da palmada
Conto de Natal*
Abaixo o isolamento
A difícil arte de relacionar-se
A necessidade de valorização e reconhecimento
Autoestima e limites
Dia dos professores
Sem explicação
Luz na Prisão
Sonhos nem sempre são como parecem
O excesso é ruim
Oito ou oitenta
O necessário preparo
O ciclo da vida
O mito da felicidade
O ciúme
Namorados: amai-vos
O direito de discordar
Azedo x Doce
Vinde Espírito Santo
Abaixo o Kit Gay
Paixão de Cristo
A idade aprimora ou piora
A criação geme em dores de parto
Mulheres
Mais um carnaval
Capacitar-se é preciso
Será que estamos sendo roubados?
Pensamentos tormentosos
Editora Santuário – 110 anos escrevendo e fazendo história!
O segredo é soltar devagar
Pecador tem jeito
Agradecimentos
Logo é Natal
Faça a sua parte
Quarenta e cinco anos
Deus sabe
Crise de autoridade
O amor precisa ser cultivado
O transtorno de deficit de atenção e hiperatividade e os superdiagnósticos
Arrogância x humildade
Adultos mimados
Belas palavras
A porta estreita
Família - Formadora de valores humanos e cristãos
Buscando um nome - encontrou um pai
Ainda não foi desta vez
Amizade
Somos especiais
A oração e o livramento
Autocomiseração
A complexidade que exclui
A vida mutilada
Adeus professora
Violência sexual face à crianças
A dor da decepção
Mamãe - superlativo da palavra amor!
Mãe
Quem segura o leme da “Barca de Pedro”?
Agradecer faz parte
Estações da vida
Páscoa - Amor incondicional
Arrependimento e perdão
Frustração no relacionamento entre pais e filhos
Saudade
Mulher
Espiritualidade da Quaresma – A Lição do Cata-Vento
Pai amigo
Máscaras
Postura faz diferença
Palavras
Filhos usam drogas porque os pais tomam remédios?
Zilda Arns: A vida de uma guerreira
Delicadeza x grosseria

COMENTE ESTE ARTIGO:
Nome:
Email:

(0 / 255)
O tamanho máximo do comentário é de 255 caracteres.
Atenção!
Você irá receber um email para confirmar seu comentário para que o mesmo seja publicado nesta página, portanto o campo Email é de preenchimento obrigatório e, ao enviar, você assume a responsabilidade pelas suas palavras inseridas neste comentário.
*NOTA : o JornalRMC abre esse espaço para que nossos colunistas exponham, de forma voluntária, seus pontos de vista sobre os assuntos em que são especialistas. Dessa forma, as opiniões apresentadas são de única e exclusiva responsabilidade dos mesmos, não refletindo necessariamente a opinião do portal e de seus editores.

 
SOS Impressoras
Rádio Novo Tempo Campinas
Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas

.: Acessos: 7.330.416 :. | .: desde Agosto/2007 :. | .: contato: imprensa@jornalrmc.com.br :. | .: desenvolvido por: LINDEMUTH Comunicação :.