O Marketing dos Medíocres

Compartilhar no Facebook

Enviar por email Imprimir este artigo
Maurício Góis
contato@mauriciogois.com.br
 

Como ultrapassar a barreira do marketing medíocre para vender todo e qualquer produto ou
serviço?

Há, basicamente, quatro tipos de produtos e serviços que se dividem entre os que você:
1. Necessita, mas n√£o deseja.
2. Deseja, mas n√£o necessita.
3. Deseja e também necessita.
4. N√£o necessita nem deseja.

Remédios, gasolina e dentista são coisas que você necessita, mas não deseja. Um relógio caro ou fazer sexo todo dia é o que você deseja, mas não necessita. Usar roupas leves no verão e almoçar diariamente é algo que você deseja e também necessita. Agora, comprar um caixão 30 anos antes de morrer apenas para aproveitar um desconto de 10% você não deseja nem necessita.

Ent√£o, o que √© um marketing med√≠ocre? √Č, por exemplo, vender roupas de ver√£o no inverno. E o que √© um marketing excelente? √Č um conjunto de estrat√©gias que levam o cliente a pensar: ‚ÄúSe eu comprar roupas de ver√£o no inverno, vou ter 55% de desconto‚ÄĚ. H√° baladas (divers√£o para os jovens) que come√ßam (sim, disse come√ßam) √†s 6 horas da manh√£. Para meu c√©rebro, isso √© uma agress√£o √† sa√ļde f√≠sica e mental de nossos adolescentes. Mas, como n√£o sou cliente desse servi√ßo, √© melhor perguntar aos usu√°rios, certamente voc√™ ouvir√° s√≥ elogios.

Como valores e princ√≠pios n√£o est√£o sendo avaliados aqui, e sim a√ß√Ķes mercadol√≥gicas, sou obrigado a reconhecer, embora com pesar, que baladas come√ßando ao raiar do dia √© um genial nicho, descoberto por um marketing cuja fun√ß√£o √© transformar a demanda latente em evidente. A conclus√£o at√© agora √© que n√£o existem produtos med√≠ocres se h√° clientes para eles. O que existe √© o marketing med√≠ocre ‚Äď a famosa tentativa de vender alguma coisa da forma mais desinteressante poss√≠vel.

E quando √© que o marketing se torna med√≠ocre? H√° muitas raz√Ķes, mas uma delas √© a empresa criar estrat√©gias sem levar em conta o Ciclo de Vida do Produto (CVP), que pode ser classificado em:
- Introdução ou pioneirismo.
- Crescimento.
- Maturidade.
- Saturação/obsolescência.
- Declínio.

Um computador sem mouse, que funciona apenas com o controle da voz, √© um exemplo de introdu√ß√£o/pioneirismo. Macarronadas domingueiras, perfumes franceses e TV em cores s√£o produtos em maturidade. Para alguns, ternos (n√£o para mim, que sou um mauricinho) s√£o produtos que est√£o come√ßando a bater na porta da satura√ß√£o. E chap√©us cl√°ssicos para homens est√£o, pelo menos por enquanto, em decl√≠nio. Ent√£o, marketing med√≠ocre seria voc√™ tentar vender esse produto nos dias de hoje. E o que seria um marketing excelente? Voc√™ anunciar chap√©us cl√°ssicos para o p√ļblico masculino em m√≠dia massificada e seletiva mostrando as vantagens de se ter ‚Äúa volta do glamour dos anos 40‚ÄĚ. E definir uma verba alt√≠ssima para que, por exemplo, atores famosos como Brad Pitt, George Clooney, etc., passem a usar esses chap√©us para gerar demanda, ou seja, o que era med√≠ocre pode virar fashion.

Ent√£o, uma das receitas do sucesso √© voc√™ parar com o marketing med√≠ocre e come√ßar a fazer o marketing excelente. Voc√™ precisa ter a estrat√©gia, o planejamento e a mensagem certos, no local e no momento certos. Al√©m disso, seu p√ļblico deve ter os recursos necess√°rios para comprar seus produtos e servi√ßos. O marketing se torna mais med√≠ocre ainda quando voc√™ pensa assim: ‚ÄúO cliente n√£o quer isso, mas vou tentar vender do mesmo jeito‚ÄĚ ou ‚ÄúO cliente quer isso, ent√£o √© isso o que vou vender‚ÄĚ. Quando √© que o marketing se torna excelente? No momento em que o pensamento passa a ser: ‚ÄúOra, o cliente, por enquanto, n√£o quer isso, mas posso criar, produzir, comunicar e entregar um valor diferente para ele, basta que o conven√ßa com √©tica, talento, inova√ß√£o e sabedoria comercial‚ÄĚ.

√Č poss√≠vel, sim, criar estrat√©gias para que o cliente mude de ideia a seu favor. Mas, para isso, √© importante que seus valores sejam, pelo menos, iguais ao seu desejo de disputar vantagens competitivas ou √† sua ambi√ß√£o de aumentar sua fatia do bolo. O marketing √© neutro, o c√©rebro do homem de marketing n√£o.


Maurício Góis
Consultor filiado ao IBCO ‚Äď Instituto Brasileiro de Consultores de Organiza√ß√£o desde 1983.
Ficou conhecido nacionalmente como autor da obra ‚ÄúChefia e Lideran√ßa‚ÄĚ da IOB-INFORMA√á√ēES OBJETIVAS, um best seller na √°rea por quase uma d√©cada.

Email: contato@mauriciogois.com.br
Site: www.mauriciogois.com.br




Mais textos deste colunista:
Minhas 15 "profecias" sobre globalização e outros bichos
Tomada de Decis√£o: 101 perguntas que resolvem qualquer problema
Os órfãos da auto-ajuda
Os h√°bitos inteligentes que constroem um vencedor
Os melhores exercícios de dicção para você ter um melhor desempenho profissional
Os mortos e os vivos no planeta dos negócios
Os nocautes da pessoa eficaz
Os Onze Mitos sobre o Planejamento do Tempo dos Líderes
Os quatro gritos do cliente silencioso
Os Seis Lados da Verdade
Os Vinte Bandidos da Venda
Para que você existe?
Pare de engolir sapos... e venda
Parem de falar mal da AIDA
Porque Pelé seria um bom vendedor
Senso de Humor em Vendas
Sete maneiras de comprometer sua equipe
Tese, Antitese e Síntese
Tornar-se Mais Inovador
Você está vivo? Então você é cliente de funerária!
Abaixo a √Āguia, Viva a Galinha
Como abrir clientes fechados
O trabalho, o futebol e a motivação
O Titanic das Vendas
O Telemarketing do Conde Dr√°cula
Copa 1998: O que realmente aconteceu no jogo Brasil e França
O que é dar descontos na Era da Descontomania
O que é comprometimento?
O que ainda n√£o lhe contaram sobre atendimento
Marketing para Pessoas Empreendedoras
As três piores frases do mundo (para os que querem vencer)

COMENTE ESTE ARTIGO:
Nome:
Email:

(0 / 255)
O tamanho máximo do comentário é de 255 caracteres.
Atenção!
Você irá receber um email para confirmar seu comentário para que o mesmo seja publicado nesta página, portanto o campo Email é de preenchimento obrigatório e, ao enviar, você assume a responsabilidade pelas suas palavras inseridas neste comentário.
*NOTA : o JornalRMC abre esse espaço para que nossos colunistas exponham, de forma voluntária, seus pontos de vista sobre os assuntos em que são especialistas. Dessa forma, as opiniões apresentadas são de única e exclusiva responsabilidade dos mesmos, não refletindo necessariamente a opinião do portal e de seus editores.

 
SOS Impressoras
Rádio Novo Tempo Campinas
Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas

.: Acessos: 8.708.410 :. | .: desde Agosto/2007 :. | .: contato: imprensa@jornalrmc.com.br :. | .: desenvolvido por: LINDEMUTH Comunicação :.