Abaixo a √Āguia, Viva a Galinha

Compartilhar no Facebook

Enviar por email Imprimir este artigo
Maurício Góis
contato@mauriciogois.com.br
 

Quer ser um melhor profissional? Pare de pensar como √°guia e trabalhe mais como galinha.

Todo mundo diz que a águia é o símbolo da excelência e a galinha é o exemplo da incompetência e covardia. Coitada da galinha no mundo dos negócios!

H√° muitas hist√≥rias motivacionais que colocam a √°guia l√° em cima, nas nuvens do sucesso e do entusiasmo. A mais conhecida delas √© a da √°guia filhote que caiu num galinheiro e, de tanto viver entre as galinhas, acabou por pensar e agir como uma delas at√© o dia em que bateu as asas da autodescoberta e voou para os c√©us da realiza√ß√£o. No mundo corporativo, a √°guia √© nota cem, e a galinha √© o ponto zero. Mas eu quero aproveitar esse momento para ressuscitar a dignidade da galinha. Na arte de administrar uma empresa, dirigir equipes e vender mais, n√£o h√° vantagem alguma em ser √°guia. Vamos analisar nove raz√Ķes:

1. Muita gente diz que a √°guia √© o s√≠mbolo do sucesso porque n√£o vive em bandos. Ora, e qual √© a vantagem disso? O que se prega com essa ideia √© que o trabalho em equipe n√£o tem valor e que precisamos ser individualistas. Sua equipe pensa como bando? √ďtimo, √© a sua oportunidade de transformar bandos em grupos, grupos em turmas, turmas em equipes e equipes em times. Ser galinha √© pensar com o esp√≠rito de ‚Äúestar junto‚ÄĚ e jamais se debandar. Ponto para a galinha!

2. Sim, a √°guia ensina seus filhotes a voar. E sabe qual √© o m√©todo dela? A viol√™ncia. Que raio de did√°tica √© essa que pega um filho e leva-o ao alto de uma montanha com o aviso ‚Äúvoe ou morra‚ÄĚ? J√° a galinha ensina seus filhotes a andar e usa um m√©todo muito moderno: ela vai √† frente e seus pintinhos a seguem. Nesse sentido, a galinha pode ser o s√≠mbolo da lideran√ßa, do treinamento e da educa√ß√£o corporativa. Joe Baker dizia que liderar √© voc√™ ir √† frente e levar seu pessoal a um lugar em que eles jamais iriam sozinhos. Viva a galinha!

3. A √°guia √© citada como o s√≠mbolo do poder porque ela v√™ de cima. Ora, vis√£o, miss√£o, concentra√ß√£o e a√ß√£o s√£o os quatro ‚Äú√£os‚ÄĚ das pessoas fabricantes de resultados. E a vis√£o √© o sustent√°culo de qualquer neg√≥cio. Mas, hoje, √© preciso ter uma vis√£o sextavada, ou seja, √© necess√°rio olhar de cima, de baixo, do lado direito, do lado esquerdo, por tr√°s e pela frente. E olhar para frente √© fazer exerc√≠cios de futurologia apostando no que poder√° vir a ser. Olhar para tr√°s √© prever o que os concorrentes poder√£o fazer depois que voc√™ lan√ßar seu produto ou servi√ßo revolucion√°rio e assim por diante. A √°guia s√≥ v√™ de cima, e a galinha n√£o consegue ver de cima. Nesse item, √© zero para as duas.

4. Para muitos publicitários, a galinha continua ainda a ser um dos símbolos do marketing. Ela produz um produto de excelente qualidade e anuncia para todo mundo que ele existe: o ovo, símbolo da embalagem perfeita. Já a águia faz tudo escondido.

5. Quem foi que disse que a águia, ao completar 40 anos, fica com as garras flexíveis e não consegue mais pegar suas presas? Quem afirmou que ela, por ficar com as asas envelhecidas, vai ao topo de uma montanha e lá fica 150 dias se automutilando num duro processo de reconstrução? Você já consultou um ornitólogo? Pois bem, a automutilação em animais acontece em situação de grande estresse ou doenças de pele, mas não para renascimento do que se era antes. A velhice, pelo menos até agora, é inevitável para homens e bichos. Mas para os inventores de parábolas motivacionais tudo faz sentido, pois o importante é manipular a imaginação seduzida. Há pessoas afirmando que, durante os 150 dias em que a águia fica na montanha renovando o bico, remoçando as penas e recriando sua nova natureza, as outras águias do bando a alimentam. Ora, mas não se prega que a águia não vive em bando? Caramba! Vou bater palmas para a galinha. Ela é mais sincera, é o que é e pronto.

6. Sabe os tr√™s pontos que a √°guia tem sobre a galinha? O folclore, a cultura e a linguagem. Se voc√™ ouvir algu√©m dizer que ‚Äúaquele homem √© galinha‚ÄĚ, por certo decodificar√° um significado diferente do que se ouvisse ‚Äúaquela mulher √© galinha‚ÄĚ. Est√° a√≠ uma das poucas vantagens da √°guia sobre a galinha: a lingu√≠stica. Grande coisa! Voc√™ gosta mais de cachorro ou de gato? Mas prefere que eu lhe diga que voc√™ √© um cachorro ou que √© um(a) gato(a)? O marketing, as vendas e o sucesso n√£o vivem dos conflitos entre significantes e significados.

7. A galinha √© um dos √≠cones do carinho, afetividade e amor. Aquela hist√≥ria de uma galinha que, num inc√™ndio, foi encontrada morta com as asas em cima de seus pintinhos vivos deve ser apenas uma ilustra√ß√£o, mas pode ser verdade. O car√°ter/instinto da galinha √© capaz de tal fa√ßanha, e o lema da √°guia √© ‚Äúsalve-se quem puder‚ÄĚ.

8. A galinha √© o s√≠mbolo da presta√ß√£o de servi√ßo. Ali√°s, ela presta servi√ßo enquanto est√° viva, ao botar ovos, e, quando morre, beneficiando-nos com sua carne. H√° algum a√ßougue que vende ovo e carne de √°guia? Um bom profissional imita a galinha: quando o cliente est√° vivo, o gerador de lucros oferece bons produtos e servi√ßos e, quando o cliente ‚Äúmorre‚ÄĚ, isto √©, deixa de ser cliente, ele d√° seu sangue para recuper√°-lo.

9. A ideia de que a galinha √© o s√≠mbolo do envolvimento, e n√£o do comprometimento, n√£o √© verdade. Prega-se por a√≠ que o boi (alguns dizem que foi o porco) abriu uma empresa com a galinha, mas ela n√£o foi para frente porque, enquanto a galinha botava um ovo, o boi dava o sangue, ou seja, se comprometia. Ora, quem disse que se comprometer √© morrer? Morrer pela empresa n√£o √© a quest√£o, desafiador mesmo √© viver por ela. Uma galinha de fazenda bota um ovo de boa qualidade e volta no outro dia para botar outro ‚Äď e garanto que ela nunca ouviu falar de kaizen, just in time e c√≠rculos de controles de qualidade.

Bem, depois de reler este artigo, tomei uma decis√£o: confesso que n√£o tenho voca√ß√£o alguma para soltar a franga, mas vou despertar a galinha que existe dentro de mim. √Č uma das op√ß√Ķes que eu encontrei para voar como uma √°guia.


Maurício Góis
Consultor filiado ao IBCO ‚Äď Instituto Brasileiro de Consultores de Organiza√ß√£o desde 1983.
Ficou conhecido nacionalmente como autor da obra ‚ÄúChefia e Lideran√ßa‚ÄĚ da IOB-INFORMA√á√ēES OBJETIVAS, um best seller na √°rea por quase uma d√©cada.

Email: contato@mauriciogois.com.br
Site: www.mauriciogois.com.br




Mais textos deste colunista:
Minhas 15 "profecias" sobre globalização e outros bichos
Tomada de Decis√£o: 101 perguntas que resolvem qualquer problema
Os órfãos da auto-ajuda
Os h√°bitos inteligentes que constroem um vencedor
Os melhores exercícios de dicção para você ter um melhor desempenho profissional
Os mortos e os vivos no planeta dos negócios
Os nocautes da pessoa eficaz
Os Onze Mitos sobre o Planejamento do Tempo dos Líderes
Os quatro gritos do cliente silencioso
Os Seis Lados da Verdade
Os Vinte Bandidos da Venda
Para que você existe?
Pare de engolir sapos... e venda
Parem de falar mal da AIDA
Porque Pelé seria um bom vendedor
Senso de Humor em Vendas
Sete maneiras de comprometer sua equipe
Tese, Antitese e Síntese
Tornar-se Mais Inovador
Você está vivo? Então você é cliente de funerária!
O Marketing dos Medíocres
Como abrir clientes fechados
O trabalho, o futebol e a motivação
O Titanic das Vendas
O Telemarketing do Conde Dr√°cula
Copa 1998: O que realmente aconteceu no jogo Brasil e França
O que é dar descontos na Era da Descontomania
O que é comprometimento?
O que ainda n√£o lhe contaram sobre atendimento
Marketing para Pessoas Empreendedoras
As três piores frases do mundo (para os que querem vencer)

COMENTE ESTE ARTIGO:
Nome:
Email:

(0 / 255)
O tamanho máximo do comentário é de 255 caracteres.
Atenção!
Você irá receber um email para confirmar seu comentário para que o mesmo seja publicado nesta página, portanto o campo Email é de preenchimento obrigatório e, ao enviar, você assume a responsabilidade pelas suas palavras inseridas neste comentário.
*NOTA : o JornalRMC abre esse espaço para que nossos colunistas exponham, de forma voluntária, seus pontos de vista sobre os assuntos em que são especialistas. Dessa forma, as opiniões apresentadas são de única e exclusiva responsabilidade dos mesmos, não refletindo necessariamente a opinião do portal e de seus editores.

 
SOS Impressoras
Rádio Novo Tempo Campinas
Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas

.: Acessos: 7.247.625 :. | .: desde Agosto/2007 :. | .: contato: imprensa@jornalrmc.com.br :. | .: desenvolvido por: LINDEMUTH Comunicação :.