Depoimento de um Call Center

Compartilhar no Facebook

Enviar por email Imprimir este artigo
Gabriela Silva Peres
gabrielaspperes@gmail.com
 

Sou operadora de call center, atendo uma das maiores empresas conhecida hoje no Brasil em telefonia m√≥vel e fixa. M√≥vel agora, fixa a anos. Aqueeeela telefonia famosa, l√≠der em reclama√ß√Ķes mas que ningu√©m se atreve em abandonar, a realidade √© que muitos abandonam pra voltar traumatizados depois.

O dilema começa na seleção dos candidatos na primeira entrevista, passa-nos uma prova de português, matemática e conhecimentos gerais. Aquelas provas imbecis que todo mundo passa, depois pedem para digitarmos um texto no Word pra ver se não somos totais analfabetos e dai estamos contratados.

O exame admissional é na própria empresa para que não dê tempo de fugir assustada com o salário. Dispenso comentários, afinal, alguém conhece uma empresa que realmente faça um exame admissional decente? Será que acreditam que vou responder que já usei drogas, bebo constantemente, faço sexo sem camisinha e não tenho ideia do meu ciclo menstrual?
Isso não é possível.

Começa o treinamento teórico que serve para termos uma ideia do que você vai fazer na operação e para fazer amigos. E nada como fazer amigos não?. Oras bolas, eu não entro numa empresa para fazer amizades nem tão pouco para compartilhar sentimentos e é incrível como a maioria dessas pessoas que trabalham em call center adoram interagir, combinar cervejas e festas baratas. Ligam para saber se você vai trabalhar no mesmo horário que ela e tantas quais mais besteiras de quem não tem o que fazer.
Quem trabalha com atendimento n√£o tem tempo pra respirar, quem dir√° ficar contando casos e fingindo interesse no acontecimento da vida alheia.

Começa a labuta, coloca o readset no ouvido, pede a Deus que te livre de pessoas infernais e pimba: " Gabriela Bom Dia, com quem eu falo?", e claro que é o Diabo. Sim, ele te liga diversas vezes por dia, te enganando cada vez numa forma diferente, com vozes diferentes, testando sua paciência e te provocando para que a cada pronunciamento você mande o cliente pro lugar que ele veio, o quinto dos infernos.

Dica numero um, se for ligar nesses atendimentos, engula sua insatisfação porque caso ligue com mau humor, berrando ou reclamando que está horas aguardando ser atendido, você corre sério risco de ter de ligar novamente.

Sim, desligamos na cara de clientes folgados e mal educados. Entenda que, nós call centers nada temos a ver com as merdas que a empresa faz e nem tão pouco nos importamos com seu problema. Enquanto você está reclamando, nós te colocamos no mudo (e você não sabe), te xingamos para o atendente do lado, comentamos seu erro de português, rimos dele e ao voltar pedimos para repetir a solicitação porque absolutamente não prestamos atenção em nada que o Senhor disse.

Dica n√ļmero dois, n√£o adianta chorar, dizer que a m√£e morreu, ou que tem um filho na cadeira de rodas, ningu√©m se importa e o t√©cnico n√£o vai ir mais r√°pido para a sua casa por causa disso.

Dica n√ļmero tr√™s, quando perguntarmos : Qual o motivo da liga√ß√£o, diga qual √© o motivo da liga√ß√£o, n√£o precisa contar a hist√≥ria inteira porque isso acaba com a paci√™ncia que j√° n√£o temos e se o √≥dio nos tomar conta o prejudicado ser√° voc√™.

Dica n√ļmero quatro, n√£o adianta passar protocolos anteriores. Eles n√£o servem pra nada. Protocolo de atendimento serve exclusivamente caso precise um dia da liga√ß√£o gravada. Voc√™ n√£o ajuda o atendente querendo pass√°-lo, ao contr√°rio voc√™ o irrita.

Dica n√ļmero cinco, n√£o adianta amea√ßar dizendo que vai cancelar a linha, que vai no Procon ou na Anatel, primeiro que n√£o acreditamos e segundo ningu√©m se importa e sua escolha t√£o pouco nos afeta.

Dica n√ļmero seis e n√£o menos importante. Ligue preparado, caneta, bloco de anota√ß√Ķes e CPF do assinante s√£o cruciais para o atendimento. N√£o ligue sem esses detalhes a m√£o porque temos tempo cronometrado para te atender, e sua enrola√ß√£o nos traz aborrecimentos, e nossa impaci√™ncia √© a inefici√™ncia da resolu√ß√£o da sua dificuldade.

Ao ligar seja simpático, paciente, responda apenas o que lhe foi perguntado. Seja breve e direto ao assunto. O Call center te odeia, e você obviamente o têm o mesmo desprezo, mas é ele que tem sua linha nas mãos e se resolveu ou não sua solicitação, você só vai saber após 48 horas.


Gabriela Silva Peres
Formada em jornalismo pela Universidade Paulista - UNIP
Email: gabrielaspperes@gmail.com
Site: gabrielaperesportifolio.blogspot.com.br
Blog: peresgabrielaperes.blogspot.com.br




Mais textos deste colunista:
Projeto C√£o Feliz
O que fazer quando falta inspiração para escrever
O que define uma relação
O DIF√ćCIL ACESSO A EDUCA√á√ÉO
Namore um barrigudinho
Idolatre a D√ļvida
Os Black Blocs
Cara de Pau (Augusto Antunes)
Marginalzinho marginalizado?
Deixa eu falar filha da puta!
Governo "dilma"
Qual é a cor do inimigo?
INVEJA
O que n√£o pode ser debatido numa democracia?
Elei√ß√Ķes 2014
UNIVERSIDADE PARA TODOS. AHAN ...
Se eu morrer, façam festa
Por que estão com tanto medo, homens de pequena Fé? (Mateus 8:26)
Não é mais tempo de votarmos no PT
Pra quem nasce na guerra, a paz n√£o existe
√Ēnibus lotado, cansativo, apertado. Tudo errado
√ďpio ou n√£o, pra que religi√£o?
Comer bebês é proibido, afirma Governo
E "Deus fez o homem e a mulher". E ponto ?
TRAIÇÃO

COMENTE ESTE ARTIGO:
Nome:
Email:

(0 / 255)
O tamanho máximo do comentário é de 255 caracteres.
Atenção!
Você irá receber um email para confirmar seu comentário para que o mesmo seja publicado nesta página, portanto o campo Email é de preenchimento obrigatório e, ao enviar, você assume a responsabilidade pelas suas palavras inseridas neste comentário.
*NOTA : o JornalRMC abre esse espaço para que nossos colunistas exponham, de forma voluntária, seus pontos de vista sobre os assuntos em que são especialistas. Dessa forma, as opiniões apresentadas são de única e exclusiva responsabilidade dos mesmos, não refletindo necessariamente a opinião do portal e de seus editores.

 
SOS Impressoras
Rádio Novo Tempo Campinas
Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas

.: Acessos: 7.251.315 :. | .: desde Agosto/2007 :. | .: contato: imprensa@jornalrmc.com.br :. | .: desenvolvido por: LINDEMUTH Comunicação :.