Os Ciclos da Vida Humana! (Parte 03)

Compartilhar no Facebook

Enviar por email Imprimir este artigo
VinĂ­cius Dottaviano
viniciuspsique@hotmail.com
 


Penso, a cada dia que passa, mais e mais, sobre as questĂ”es religiosas, especialmente nas suas versĂ”es cada dia mais fundamentalistas... Explico... QuestĂ”es Darwinianas a parte, preconizo que a sua forma de observar as semelhanças e a sequĂȘncia evolutiva das inĂșmeras espĂ©cies que povoam nosso planeta um dos grandes avanços do sĂ©culo XIX. NĂŁo sĂł ele, como inĂșmeros estudiosos do mundo, sempre enfrentou preconceitos enormes, foi persistente, viveu cercado por desconfiança.

Porque estou falando sobre isso??? Destaco isso tudo, por conta de que, vĂĄrias vezes, o uso indevido desta e de outras grandes teorias... Explico novamente... A cada dia que passa, com novas descobertas em outras ĂĄreas da ciĂȘncia, mais e mais pessoas ficam mesmo maravilhadas com sua coerĂȘncia interna e acham que podem, a partir delas, explicar tudo o que nos cerca.

Aconteceu o mesmo com o Marxismo, com a psicanĂĄlise de Freud, isso para ficar sĂł nos exemplos mais recentes. Digo isso, sem contar as ditas “pessoas ingĂȘnuas” que se apegam de modo fĂ©rreo a um conjunto de ideias (que infelizmente, passam a ter o valor de uma doutrina religiosa fundamentalista) e pior, ainda existem aqueles que o fazem por razĂ”es bastante oportunistas...

No caso da teoria da evolução de Darwin, ela tem sido usada para avalizar condutas que nenhum humanista pode tolerar: nossas peculiaridades biolĂłgicas nĂŁo podem ser negligenciadas, mas nĂŁo podem ser usadas para tratar como inexorĂĄveis condutas muito duvidosas e do interesse daqueles que a defendem. É claro que todo o homem “caçador” vai se sentir prestigiado e estimulado a continuar atĂ© a maltratar as mulheres, uma vez que ele age assim movido pelos ditos “melhores propĂłsitos genĂ©ticos/hereditĂĄrios/evolutivos” a serviço da perpetuação da nossa espĂ©cie.

A verdade Ă© que vĂĄrios estudos jĂĄ disseram que nĂŁo sĂŁo os melhores homens e nem os mais fortes os que mais se dedicam Ă  arte da sedução. Muitos dos homens (e mulheres) mais geniais de nossa histĂłria nem sequer se casaram e muito menos reproduziram!!! O dito “conquistador” Ă© um tipo egoĂ­sta, fraco e moralmente duvidoso. AliĂĄs, dentre as poucas figuras extraordinĂĄrias que tiveram filhos (dentre os quais os prĂłprios Darwin e Freud), nĂŁo se tem notĂ­cia de que tenham tido descendentes com aptidĂ”es acima da mĂ©dia (afora talvez um neto do Freud, importante pintor inglĂȘs).

A verdade Ă© que, do ponto de vista da genĂ©tica, segundo tambĂ©m, outros estudos, somos todos “vira-latas”: somos o fruto de famĂ­lias que se constituĂ­ram de forma casual e que geraram filhos variados que se acoplaram a outros na maioria das vezes atĂ© sem critĂ©rio seletivo algum. Assim sendo, famĂ­lias muito simples intelectual e fisicamente podem ser o berço de figuras artĂ­sticas geniais, excepcionais esportistas, intelectuais brilhantes. FamĂ­lias constituĂ­das a partir de criaturas excepcionais podem gerar descendentes bastante medĂ­ocres (e emocionalmente desgastados por sentirem que tĂȘm que estar Ă  altura dos que os antecederam).


Continuo na semana que vem,

Boa Semana


VinĂ­cius Dottaviano
Doutorando em Psicologia da Arte (Unicamp), Mestrado em Artes e Educação (Unicamp), Pós-Graduação em Psicoterapia Cognitiva/Comportamental (UNIAnchieta de Jundiaí), Bacharelando em Direito pela Faculdade Padre Anchieta de Jundiaí/SP, Licenciado em Psicologia pela Faculdade Padre Anchieta de Jundiaí/SP, Licenciado em Dança e Artes Corporais (Unicamp) e Licenciado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas - PUCC.
Email: viniciuspsique@hotmail.com




Mais textos deste colunista:
Os Ciclos da Vida Humana! (Parte 08)
Os Ciclos da Vida Humana! (Parte 07)
Os Ciclos da Vida Humana! (Parte 06)
Os Ciclos da Vida Humana! (Parte 05)
Os Ciclos da Vida Humana! (Parte 04)
Os Ciclos da Vida Humana!!! (Parte 02)
Os Ciclos da Vida Humana!!! (Parte 01)
Sentimentos Femininos!!! (Parte Final)
Sentimentos Mais Femininos! (Parte 23)
Sentimentos Mais Femininos! (Parte 22)
Sentimentos Mais Femininos! (Parte 21)
Sentimentos Mais Femininos! (Parte 20)
Sentimentos Mais Femininos! (Parte 19)
Sentimentos Mais Femininos! (Parte 18)
Sentimentos Mais Femininos! (Parte 17)
Sentimentos mais femininos! (parte 16)
Sentimentos mais femininos! (parte 15)
Sentimentos mais femininos! (parte 14)
Sentimentos mais femininos! (parte 13)
Sentimentos mais femininos! (parte 12)
Sentimentos mais femininos! (parte 11)
Sentimentos mais femininos! (parte 10)
Sentimentos mais femininos! (parte 09)
Sentimentos mais femininos! (parte 08)
Sentimentos mais femininos! (parte 07)
Sentimentos mais femininos! (parte 06)
Sentimentos mais femininos! (parte 05)
Sentimentos mais femininos! (parte 04)
Sentimentos mais femininos! (parte 03)
Sentimentos mais femininos! (parte 02)
Sentimentos mais femininos! (parte 01)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte Final)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 16)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 15)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 14)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 13)
2016 - Ano Bissext! e DaĂ­? (Parte 12)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 11)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 10)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 09)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 08)
2016 - Ano Bissexto! E DaĂ­? (Parte 07)
2016 - Ano Bissexto! E DaĂ­? (Parte 06)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 05)
2016 - Ano Bissexto! E DaĂ­? (Parte 04)
2016 - Ano Bissexto! E daĂ­? (Parte 03)
2016 - Ano Bissexto! E DaĂ­? (Parte 02)
2016 - Ano Bissexto! e DaĂ­? (Parte 01)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte Final)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (parte 15)
Ttanscendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 14).
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 13)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 12)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 11)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 10)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 09)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 08)
Transcendendo os Fantasmas do Medo (Parte 07)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 06)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 05)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 04)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 03)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 02)
Transcendendo os Fantasmas do Medo! (Parte 01)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte Final)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 31)
Onde tudo começa... em um sonho??? (Parte 30)
Onde tudo começa... em um sonho??? (Parte 29)
Onde tudo começa... em um sonho??? (Parte 28)
Onde tudo começa... em um sonho??? (Parte 27)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 26)
Onde tudo começa... em um sonho? (parte 25)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 24)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 23)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 22)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 21)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 20)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 19)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 18)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 17)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 16)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 15)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 14)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 13)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 12)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 11)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 10)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 09)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 08)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 07)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 06)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 05)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 04)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 03)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 02)
Onde tudo começa... em um sonho? (Parte 01)
VocĂȘ conhece o seu Amor??? (Parte 27)
VocĂȘ conhece o seu Amor??? (Parte 26)
VocĂȘ conhece o seu Amor??? (Parte 25)
VocĂȘ conhece o seu Amor??? (Parte 24)
VocĂȘ conhece o seu Amor??? (Parte 23)
VocĂȘ conhece o seu Amor??? (Parte 22)
VocĂȘ conhece o seu Amor??? (Parte 21)
VocĂȘ conhece o seu Amor??? (Parte 20)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 19)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 18)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 17)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 16)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 15)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 14)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 13)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 12)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 11)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 10)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 09)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 08)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 07)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 06)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 05)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 04)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 03)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 02)
VocĂȘ conhece o seu amor? (parte 01)
Realmente temos saĂșde mental? (parte final)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 60)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 59)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 58)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 57)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 56)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 55)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 54)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 53)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 52)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 51)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 50)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 49)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 48)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 47)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 46)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 45)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 44)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 43)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 42)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 41)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 40)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 39)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 37)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 36)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 35)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 34)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 33)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 32)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 31)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 30)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 29)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 28)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 27)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 26)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 25)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 24)
Por que o Brasil Ă© assim???
Realmente temos saĂșde mental? (parte 23)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 22)
O PossĂ­vel Adeus de Joaquim Barbosa
Realmente temos saĂșde mental? (parte 21)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 20)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 19)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 18)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 17)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 16)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 15)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 14)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 13)
Por que protestar nesse "Brasil de meu Deus"?
Realmente temos saĂșde mental? (parte 12)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 11)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 10)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 9)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 8)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 7)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 6)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 5)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 4)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 3)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 2)
Realmente temos saĂșde mental? (parte 1)
As diferenças entre saber e ignorar (parte final)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 15)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 14)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 13)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 12)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 11)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 10)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 9)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 8)
E a Verdade Apareceu...
As diferenças entre saber e ignorar (parte 7)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 6)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 5)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 4)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 3)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 2)
As diferenças entre saber e ignorar (parte 1)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte final)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (penĂșltima parte)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 64)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 63)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 62)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 61)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 60)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 59)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 58)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 57)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 56)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 55)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 54)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 53)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 52)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 51)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 50)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 49)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 47)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 46)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 45)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 44)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 43)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 42)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 41)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 40)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 39)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 38)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 37)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 36)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 35)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 34)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 33)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 32)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 31)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 30)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 29)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 28)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 27)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 26)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 25)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 24)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 23)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 22)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 21)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 20)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 19)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 18)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 17)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 16)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 15)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 14)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 13)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 12)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 11)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 10)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 9)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 8)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 7)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 6)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 5)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 4)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 3)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 2)
Por que existem pessoas que economizam afeto? (parte 1)
Os ciclos da evolução humana (Final)
Os ciclos da evolução humana (parte 37)
Os ciclos da evolução humana (parte 36)
Os ciclos da evolução humana (parte 35)
Os ciclos da evolução humana (parte 34)
Os ciclos da evolução humana (parte 33)
Os ciclos da evolução humana (parte 32)
Os ciclos da evolução humana (parte 31)
Os ciclos da evolução humana (parte 30)
Os ciclos da evolução humana (parte 29)
Os ciclos da evolução humana (parte 28)
Os ciclos da evolução humana (parte 27)
Os ciclos da evolução humana (parte 26)
Os ciclos da evolução humana (parte 25)
Os ciclos da evolução humana (parte 24)
Os ciclos da evolução humana (parte 23)
Os ciclos da evolução humana (parte 22)
Os ciclos da evolução humana (parte 21)
Os ciclos da evolução humana (parte 20)
Os ciclos da evolução humana (parte 19)
Os ciclos da evolução humana (parte 18)
Os ciclos da evolução humana (parte 17)
Os ciclos da evolução humana (parte 16)
Os ciclos da evolução humana (parte 15)
Os ciclos da evolução humana (parte 14)
Os ciclos da evolução humana (parte 13)
Os ciclos da evolução humana (parte 12)
Os ciclos da evolução humana (parte 11)
Os ciclos da evolução humana (parte 10)
Os ciclos da evolução humana (parte 9)
Os ciclos da evolução humana (parte 8)
Os ciclos da evolução humana (parte 7)
Os ciclos da evolução humana (parte 6)
Os ciclos da evolução humana (parte 5)
Os ciclos da evolução humana (parte 4)
Os ciclos da evolução humana (parte 3)
Os ciclos da evolução humana (parte 2)
Os ciclos da evolução humana (parte 1)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 38)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 37)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 36)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 35)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 34)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 33)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 32)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 31)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 30)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 29)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 28)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 27)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 26)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 25)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 24)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 23)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 22)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 21)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 20)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 19)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 18)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 17)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 16)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 15)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 14)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 13)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 12)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 11)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 10)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 09)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 08)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 07)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 06)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 05)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 04)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 03)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 02)
Realmente conhecemos os nossos sentimentos mais Ă­ntimos? (Parte 01)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 30)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 29)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 28)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 27)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 26)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 25)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 24)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 23)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 22)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 21)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 20)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 19)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 18)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 17)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 16)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 15)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 14)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 13)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 12)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 11)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 10)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 9)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 8)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 7)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 6)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 5)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 4)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 3)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 2)
Quem realmente Ă© vocĂȘ? (parte 1)
Os caminhos para transcender o labirinto da mente
A generosidade Ă© uma prĂĄtica do desapego

COMENTE ESTE ARTIGO:
Nome:
Email:

(0 / 255)
O tamanho máximo do comentário é de 255 caracteres.
Atenção!
Você irá receber um email para confirmar seu comentário para que o mesmo seja publicado nesta página, portanto o campo Email é de preenchimento obrigatório e, ao enviar, você assume a responsabilidade pelas suas palavras inseridas neste comentário.
*NOTA : o JornalRMC abre esse espaço para que nossos colunistas exponham, de forma voluntária, seus pontos de vista sobre os assuntos em que são especialistas. Dessa forma, as opiniões apresentadas são de única e exclusiva responsabilidade dos mesmos, não refletindo necessariamente a opinião do portal e de seus editores.

 
SOS Impressoras
Rádio Novo Tempo Campinas
Cadastro Nacional de Pessoas Desaparecidas

.: Acessos: 7.165.312 :. | .: desde Agosto/2007 :. | .: contato: imprensa@jornalrmc.com.br :. | .: desenvolvido por: LINDEMUTH Comunicação :.