Dez presidentes escrevem a história de 50 anos da APAE Valinhos

Parque na APAE na Rua Itália

Parque na APAE na Rua Itália

Desde a fundação da APAE em 1971, dez pessoas ocuparam a presidência da entidade. São 50 anos de muitas lutas e conquistas que estiveram sob a responsabilidade de homens de muita fé, que empreenderam voluntariamente para que a APAE conquistasse o patamar que ostenta hoje, de ser reconhecida pela FEAPAEs pelo seu trabalho e por suas instalações.

O Primeiro presidente eleito foi o saudoso Domingos Walter Ramazzini Arruda que esteve à frente da APAE de 1971 a 1974, enfrentou grandes desafios para implantar a APAE na cidade, onde funcionou o Centro de Puericultura de Valinhos, conquistada devido mudança do Posto para Centro de Saúde na Vila Santana. O espaço pertencia ao CEPROS – Centro de Promoção Social Maria Antonia Celani presidida por Vitório Antoniazzi, que abriu a possibilidade para que entidade se instalasse no local em 1972 na Rua Itália e no ano seguinte, a inauguração do parque que permitia o atendimento e atividades ao ar livre.

Em 1975 Padre Leopoldo Petrus Van Liempt é eleito presidente, ficando à frente da entidade até a sua morte em 1984. Em sua gestão as dificuldades financeiras foram grandes, mas padre Leopoldo sempre dizia da providência divina e ela sempre acontecia nos momentos de grande apuro. Foi na sua presidência que aconteceu a primeira campanha para angariar sócios: Seja amigo do Excepcional; também a realização do 1º Concurso e baile Miss Simpatia em 10 de setembro de 1977.

Foi também nesse período, que Valinhos sediou de 16 a 18 de março de 1980 o 1º Congresso Estadual das APAEs. Padre Leopoldo faleceu em 9 de fevereiro de 1984 e a partir daí assumiu interinamente a presidência Pedro Brandini.

Na assembleia realizada em 14 de abril de 1984, foi eleito Atílio Capovilla como presidente, mas sua gestão durou apenas seis meses, ele renunciou ao cargo, assumindo novamente Pedro Brandini, um homem de garra, que criou um livro ouro para buscar ajuda nos momentos de dificuldade, transportou com a kombi os alunos da APAE, sempre muito querido era carinhosamente chamado de Tio Pedro, ficou à frente da entidade de 1984 a 1992.

Com seu falecimento em 26 de fevereiro de 1992, assumiu o presidente Luiz Basetto que ficou no cargo até 1998 e teve o grande desafio de ampliar os serviços, realizar muitos eventos e acompanhar o início do movimento para implantação da APAE/CIAEX.

Pedro Luiz Rodrigues de Souza, chega na presidência num momento importante na APAE que foi o desafio de construir a nova sede para abrigar a APAE/CIAEX – Centro Integrado de Assistência ao Excepcional. A sua gestão foi de 1999 a 2001.

A obra foi inaugurada em 2005, na Rua Fioravante Agnello, 1669, no Jardim Maria Ilydia, na gestão do Dr. Ruy Antonio Meirelles dos Santos, hoje orgulho da instituição com quatro blocos integrados, um amplo refeitório, piscina, setor de fisioterapia, computação, Escola Maria Antônia Celani, amplo estacionamento, e agora o prédio da UCD – Unidade de Cuidados Diários que foi inaugurado, que não entrou em funcionamento por conta da pandemia.

Dr Ruy dirigiu a APAE de 2002 a 2007 e foi em sua gestão que aconteceu o APAE/CARD e a implantação do serviço de telemarketing, uma ação de Jesus Donizete Piva e Luís Roberto Roson, também em sua gestão no dia 24 de março de 2006, APAE passou a ser sede do Conselho Regional das APAEs reunindo 17 cidades. Sempre presente na diretoria Dr. Ruy já ocupou diversos cargos, sendo atualmente o secretário. O seu sucessor foi Jesus Donizete Piva que ficou no cargo de 2008 a 2013, promoveu grandes mudanças na instituição, uma delas a maneira de gestão da entidade.

Jesus Donizete Piva foi presidente no ano em que a APAE comemorou 40 anos, festejando com uma grande festa: apresentação da Orquestra Filarmônica, inauguração do painel Aconchego na entrada da entidade, obra de Sueli Borin Schiavinatto, Mércia Centurioni e Dylza Zanella e o Memorial em homenagem ao Padre Leopoldo.

Foi no período que foi presidente que se iniciou a construção da capela ecumênica da APAE, um verdadeiro tesouro dentro da instituição.

O seu sucessor foi Edson Manzano, que ficou de 2014 a 2016, sendo sua principal atividade a implantação da ISO 9001 a primeira e única entidade em Valinhos a ter esse sistema de qualidade, que trouxe uma grande inovação e transparência, também em sua gestão em 2015, foi criado pela FEAPAEs, o Setembro Verde, uma iniciativa do Dr. Ruy Meirelles. Edson não descuidou dos eventos que sempre garantiram os recursos para a entidade, como os jantares que substituíram o famoso evento Miss Simpatia, o Porco Turbinado e criou outros que garantiram o sustento da entidade e o equilíbrio financeiro.

No dia 1º de janeiro de 2017, assumiu a presidência da APAE Valinhos Luís Roberto Roson que já comanda a entidade em sua segunda gestão, com muitos planos para continuar promovendo o padrão de qualidade ISO 9001 na instituição, nas três áreas de atuação: Educação, Saúde e Assistência Social.

Roson assumiu o compromisso de construir um prédio para implantação da UCD – Unidade de Cuidados Diários que foi inaugurado, mas não entrou em funcionamento por conta da pandemia.

Foi um grande desafio conseguir levantar o prédio nos padrões exigidos pela Vigilância em Saúde, para atendimento dos casos de maior complexidade. A inauguração aconteceu no final de 2019 e a expectativa era de entrar em funcionamento em março de 2020, mas a pandemia mudou os planos, os alunos e assistidos não puderam mais frequentar a entidade e apesar de toda dificuldade, especialmente a financeira, já que não pode realizar os eventos, a APAE se mantém firme em seu propósito de atender as pessoas com deficiência.

Além de presidente da APAE, Roson é o 1º membro da diretoria da APAE a participar da FEAPAEs – Federação das APAEs do Estado de São Paulo desde 2012, cargo que permite ao presidente, trazer e implantar as novidades propostas.

Um dos seus grandes feitos foi trazer em 2019 o XV Festival Estadual Nossa Arte, uma realização da FEAPAES – Federação das APAES do Estado de São Paulo, realizado nos dias 15,16 e 17 de julho, no auditório da TV Século 21 promovendo a arte, a cultura, mas especialmente a inclusão social de mais de 700 pessoas com deficiência de todo estado. Participaram representantes de 47 APAEs do Estado de São Paulo.

Cada um ao seu tempo, tem levado avante os propósitos da instituição e deixam registrado o nome na história de 50 anos da APAE Valinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *