Indústria da Região de Campinas aponta seus desafios para 2022

A Regional Campinas do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) apresentou os principais desafios da indústria regional na primeira Pesquisa de Sondagem Industrial do ano, realizada on-line para a Imprensa, nesta terça – 22 de fevereiro. O diretor titular do Ciesp-Campinas, José Henrique Toledo Corrêa, destacou como desafios para 2022, “a necessidade de fortalecimento dos polos industriais regionais e o apoio apontado pelos associados na pesquisa de Sondagem pela manutenção da área do sítio aeroportuário do Aeroporto Internacional de Viracopos em Campinas”, na relicitação prevista para ocorrer este ano.

Na apresentação dos dados da Sondagem Industrial de Fevereiro, o diretor do Ciesp-Campinas, José Henrique Toledo Corrêa, mencionou a diminuição no volume de produção, que foi apontada por 32% dos respondentes nessa pesquisa – enquanto na de novembro de 2021 a queda atingiu apenas 20% das associadas. Na avaliação do diretor a queda na produção, apontada em fevereiro deve-se “a sazonalidade, já que no final do ano e no primeiro mês do ano seguinte, as indústrias normalmente apresentam uma diminuição de atividade”. Em relação aos outros indicadores da Sondagem – como número de empregos, inadimplência, endividamento, capacidade instalada, custos trabalhistas e industriais, lucratividade e projeção de investimentos futuros, estão “dentro dos limites da normalidade, apontados na pesquisa anterior”.

Desafios – O diretor José Henrique Toledo Corrêa destacou como um dos desafios da indústria regional para 2022, a manutenção da área do Aeroporto Internacional de Viracopos em 27 km² na sua relicitação, prevista para ocorrer este ano. “Na pesquisa de Sondagem, 79% dos associados do Ciesp-Campinas apontaram o Aeroporto de Viracopos como muito importante (58%) e importante (21%). Já em relação à manutenção de área de Viracopos, 84% da indústria regional considerou como fundamental”, explicou.

Outro desafio importante é “o fortalecimento dos polos industriais regionais” e com isso expandir a produção industrial, como geradora de empregos e qualificação profissional”. Para Toledo Corrêa, os dois anos de pandemia da Covid-19 trouxeram como lição, a necessidade da indústria nacional recuperar o seu protagonismo e reduzir a dependência externa.

Balança Comercial Regional – O diretor do Departamento de Comércio Exterior do Ciesp-Campinas, Anselmo Riso, destacou a preocupação da entidade com a operação padrão, realizada pelos fiscais da Receita Federal. Riso relatou as dificuldades que as empresas estão tendo na liberação de suas cargas e os prejuízos para o comércio exterior.

Em relação aos números da Balança Comercial Regional, em janeiro de 2022 o valor exportado foi de US$ 230,5 milhões – 20% maior que em janeiro de 2021. Já as importações no mesmo mês foram de US$ 942,5 milhões – 14,5% maior do que em janeiro do ano passado. O saldo em janeiro de 2022 foi negativo em US$ 712 milhões – 12,8% maior do que o registrado em janeiro de 2021.

A corrente de comércio exterior regional (soma das exportações e importações) em janeiro de 2022 foi de US$ 1,173 bilhão – 15,5% maior que no mesmo mês do ano passado.

Em janeiro os principais municípios exportadores da Regional Campinas do Ciesp foram, pela ordem: Paulínia (29,1%), Campinas (24,2%), Sumaré (13,5%), Mogi Guaçu (7,9%) e Amparo (5,8%).

Já os municípios que mais importaram foram: Campinas (30,9%), Paulínia (30,2%), Jaguariúna (11,7%), Hortolândia (9,1%) e Sumaré (8,8%). O percentual do município refere-se a sua participação em relação ao total da Regional no Balanço Mensal.

O Ciesp-Campinas conta com 494 empresas associadas, distribuídas em 19 municípios da região. O faturamento conjunto das empresas associadas é de R$ 41,52 bilhões ao ano. Conjuntamente essas empresas empregam 98.894 colaboradores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.