Produtores de flores homenageiam funcionários do Hospital de Clínicas da Unicamp

Em ação realizada pelas cooperativas Veiling e Cooperflora e organizada pelo Instituto Brasileiro de Floricultura e pela Prefeitura Municipal de Holambra, os produtores da cidade responsável por 45% da comercialização nacional de flores e plantas ornamentais presentearam os profissionais da saúde como forma de reconhecimento ao trabalho da área da Saúde junto à população.

Os funcionários do Hospital de Clínicas da Universidade de Campinas (Unicamp) começaram o turno da manhã de forma diferente nesta segunda-feira, 6 de abril. Eles foram surpreendidos pela chegada de carrinhos e mais carrinhos de flores e plantas ornamentais, doadas pelos produtores de Holambra vinculados às cooperativas Veiling e Cooperflora para, através de parte dos funcionários do HC, homenagear os colaboradores da área da Saúde em reconhecimento ao trabalho que realizam e, especialmente, neste momento da pandemia da COVID-19. Foram entregues cerca de 420 vasos de cyclamens, tulipas, cúrcumas, callas, azaleias, crisântemos, orquídeas Phalaenopsis, celósias, antúrios, e kalanchoes, além de, aproximadamente, 200 maços de flores de corte, como rosas, lírios e alstroemerias. A doação foi coordenada pelo Ibraflor – Instituto Brasileiro de Floricultura em conjunto com a Prefeitura Municipal de Holambra.

“Estamos vivendo um momento difícil, principalmente para os profissionais da Saúde. Nossa intenção é trazer a alegria, a harmonia das cores e a beleza das flores e plantas para a casa dessas pessoas que passam a maior parte do dia dentro do hospital”, explica Mattheus Yeda, diretor técnico do Ibraflor e responsável pela entrega junto com o produtor Eddy Sleutjes. A equipe do hospital encarregou-se de distribuir as flores aos funcionários da linha de frente que estavam trabalhando no momento da entrega.

Situação do mercado floricultor

Holambra tem o título de “Capital Nacional das Flores” por concentrar cerca de 45% da comercialização nacional do produto. A floricultura brasileira também sente os reflexos da pandemia do coronavírus, com ameaça de falência de 66% dos produtores. Para evitar a catástrofe, o Ibraflor apela ao Governo Federal, por meio do Ministério da Agricultura, e aos governos estaduais e municipais para que flexibilizem as regras para a comercialização das flores e plantas, por serem produtos perecíveis, e considerando que elas “promovem o bem-estar, celebram a vida, resultam em sorrisos e geram emoções”. “Acreditamos no poder das flores e das plantas, pois elas são alimento para a nossa alma”, diz Mattheus

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *