Criança pode ser DJ? Luciano Vianna, criador da Festa Ploc, orienta e conta como o filho, de 12 anos, tem feito sucesso nas lives da ‘Ploquinho’

“O investimento de um equipamento para DJ vai de R$ 2 mil a R$ 10 mil, mas a primeira coisa é ver se a criança gosta e tem conhecimento de música. Incentivo é sempre muito importante”, diz o DJ Dom LV, papai do pequeno DJ Tutu Vianna.

Sucesso também na quarentena entre a criançada, a Ploquinho, festa infantil da Ploc, vem se destacando com as lives comandadas pelo DJ Tutu Vianna, de apenas 12 anos. Luciano Vianna, criador do projeto e pai coruja do jovem DJ residente do evento infantil, incentiva o filho a aprender mais sobre a carreira, e dá dicas para quem também tem em casa um jovem apaixonado por música e que sente o desejo de comandar as carrapetas nas mais animadas festas.

“Cultura tem um poder transformador, independente de ser pela música, leitura ou vídeos. Minha filha de 4 anos já foi em dois ‘Rock in Rio’ comigo, por exemplo. Meu outro filho foi a seu primeiro show com dois anos, no Lollapalooza Chile. Crio meus filhos para serem globais, gostarem de tudo, de música, museu, leitura, filmes. Essa é a melhor contribuição que posso dar aos meus quatro filhos. O Tutu Vianna quis ser DJ desde que fui dar uma aula de discotecagem em sua escola, e eu incentivo muito. Ele já tem um equipamento completo de DJ igual ao meu”, revela Luciano Vianna, o DJ Dom LV, com todo orgulho.

O DJ experiente orienta outros pais que têm pequenos aspirantes na carreira em casa: “A primeira coisa é ver se a criança realmente gosta de música e tem interesse em conhecer do assunto cada vez mais. O pai pode ajudar incentivando e o ajudando a escolher cada música, mostrando cada banda, revelando histórias. Os pais podem levar conhecimento e mostrar o caminho. Se for o momento de investir, vale lembrar que um equipamento para DJ custa de R$ 2 mil a R$ 10 mil, mas a primeira coisa é levar para a criança todo o conhecimento sobre música. Meu filho toca violão, piano e guitarra, além de ser DJ.”

Repertório aprovado pelos pais e psicólogos

A Ploquinho, festa voltada para crianças do projeto Ploc, surgiu no carnaval de 2018 como um bailinho infantil. Em 2019 ela cresceu e virou um bloco infantil e, mais recentemente, está se transformando numa festa também para papais e crianças.

Luciano Vianna explica que a Ploquinho toca tudo que as crianças gostam de ouvir, mas que uma regra é importante: “Só toca o que eu deixo meus filhos escutarem. Além do Tutu, eu tenho duas gêmeas de 5 anos e uma caçula de 4 anos. No repertório estão clássicos interpretados por grupos como Palavra Cantada, Galinha Pintadinha, Mundo Bita, entre outros. Todas as músicas estão sob a supervisão de uma psicóloga que aprova ou não o que será tocado.”

Saiba mais sobre a Ploc:

Referência quando se trata dos anos 80, a Festa Ploc cresceu e hoje abrange muito mais que apenas uma década. De acordo com os sócios e também DJ’s Pillar Gama (Menina Veneno) e Luciano Vianna (Dom LV), entende-se como retrô tudo que passa de 10 anos atrás e agora, a viagem no tempo vai da década de ouro aos clássicos dos anos 2000. Com 16 anos de história, PLOC vai muito além de uma festa e tornou-se uma marca nos mais diversos nichos, como a Ploc Beer, cerveja própria da marca, consultoria para empresas, agenciamento de artistas retrô, playlist no Spotify e edições do evento marcadas em Portugal, Espanha e Estados Unidos.

Mais informações sobre Festa Ploc:

https://www.youtube.com/PlocTv

https://www.facebook.com/FESTAPLOC/

https://festaploc.com.br

https://www.instagram.com/festaploc/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *