Durante Jornada Pedagógica da Prefeitura, Mauricio de Sousa ressalta papel do professor e da família na formação plena da criança

Cartunista, criador da Turma da Mônica, participou, nesta quarta-feira (02/02), de bate-papo online com profissionais da Educação de Hortolândia

Acolher, ouvir, amparar, amar. Eis a mensagem passada pelo cartunista, jornalista e criador da “Turma da Mônica”, Mauricio de Sousa, aos profissionais da Educação da Prefeitura de Hortolândia, na noite desta quarta-feira (02/02), durante a “Jornada Pedagógica 2022 – Educação como Conceito de Integralidade”. O evento, tradicional, marca a abertura do ano letivo na rede municipal de ensino, disponibilizando atividades formativas gratuitas e ações de planejamento antes da retomada efetiva das aulas, que neste ano será no dia 21 de fevereiro.

O bate-papo com o cartunista foi conduzido pelo Supervisor Educacional do Centro de Formação dos Profissionais em Educação “Paulo Freire”, Donizeti Faria, e já rendeu cerca de 4.500 visualizações na página da Secretaria de Educação, Ciência e Tecnologia no YouTube, até agora. A abertura oficial contou com a participação do prefeito José Nazareno Zezé Gomes e do secretário-adjunto de Educação, Ciência e Tecnologia, Renato Muccilo. A gravação do evento online está disponível neste link: www.youtube.com/secretariadeeducacaocienciaetecnologiahortolandia.

“Solidariedade é a palavra da nossa cidade. Vejo que tudo vai muito bem, porque o nosso povo é um povo que tem muita paixão e esperança. Esse é um momento muito difícil. Tivemos que tomar decisões muito difíceis, impopulares para alguns que podem não compreender o porquê. Mas adiar um pouco o início das aulas para que nossas crianças se vacinem não vai atrapalhar em nada nosso calendário escolar. Com certeza, com a mesma força e aptidão que os profissionais da educação tiveram ano passado, esse ano será de muitas lutas e conquistas, mas um ano prazeroso. Esta noite maravilhosa, com a presença do Mauricio de Sousa, é uma força e um ânimo muito grande para nós”, afirmou Zezé Gomes, explicando o adiamento em duas semanas do início das aulas na rede municipal e agradecendo as mensagens de recuperação recebidas durantes o recente período em que esteve isolado em razão de ter contraído Covid-19.

O secretário-adjunto Renato Muccilo deu as boas-vindas aos profissionais da rede, desejando a todos um ano de avanços na Educação, em Hortolândia. “A Jornada Pedagógica é um momento de acolhida para toda rede, tendo em vista, principalmente, que no ano anterior passamos por um processo muito importante com a construção participativa do currículo municipal. Neste ano, a Jornada vem com a proposta de trazer uma reflexão sobre as nossas práticas pedagógicas e essa construção, pois mesmo após a entrega da minuta nós vamos, a partir desse ano, continuar essa fase de aprimoramento e contribuições para termos um currículo permeado na nossa identidade e territorialidade”, desejou Muccilo.

Durante o bate-papo, Mauricio contou um pouco de sua trajetória, desde a infância, quando começou o seu encanto com os quadrinhos e a presença da leitura era forte. “Desde pequeno, na escola, brincava de desenhar os colegas. Eu brincava de desenhar! Depois, houve um fato que talvez tenha sido o que desencadeou e mudou tudo. Uma professora percebeu que eu desenhava e sugeriu que eu ilustrasse todos os meus trabalhos de casa. Meus pais compraram materiais, tintas e folhas, cadernos. As minhas lições de casa iam todas coloridas com ilustrações. E todos os dias os colegas vinham até a minha carteira para ver qual era o desenho do dia. Tive também uma professora de Português, que era extremamente severa, mas, graças à sua maravilhosa severidade, acho que ascendi como jornalista. Na minha adolescência, eu lia muito. Chegava da escola na hora do almoço e passava a tarde toda lendo”, relembra o escritor.

Mauricio contou também aos participantes da Jornada que seus principais personagens foram inspirados em seus dez filhos. Assim, ao longo do tempo, vendo os filhos e as personagens crescerem, viu também o sonho de menino se concretizar e expandir, passando dos gibis para o vídeo, a internet, os parques temáticos e o cinema, oferecendo ao público local personagens brasileiros.

Por fim, ao comentar sobre o mais recente sucesso da turminha do Limoeiro, o filme “Turma da Mônica: Lições”, deixou aos professores e também à família uma mensagem inspiradora. É preciso acolher as emoções e ter uma escuta afetiva, dentro e fora da sala de aula. “Existem pais de todos os jeitos. Os pais não devem brecar os filhos, nem interferir no desenvolvimento da personalidade, nas suas amizades. Penso que os professores também, de uma maneira importante, hoje são mais conhecedores dessa necessidade de liberar a criança e esse jovem para ser ele mesmo. Eles precisam se devolver sozinhos, amparados e respeitados. Essa é uma das mensagens que tentamos passar nos livros, nos quadrinhos e filmes que estamos desenvolvendo”, ressaltou Mauricio de Sousa.

Ane Medina Néri, jornalista – Departamento de Comunicação – Sec. de Governo – Prefeitura de Hortolândia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.