Hospital Centro Médico de Campinas inaugura Unidade Cardio-Neuro-Vascular

A única em Campinas e região com presença de cardiologista intervencionista e neurologista vascular todos os dias.

Considerado referência em tratamentos de saúde, o Hospital Centro Médico de Campinas, que já disponibilizava a maior UTI privada na região, acaba de inaugurar sua Unidade Cardio-Neuro-Vascular, ampliando em mais de 50% seus leitos de alta complexidade. Suportada por equipamentos de última geração, a Unidade oferece um serviço integrado e dedicado as doenças vasculares, com protocolos bem definidos e conduzida por renomados especialistas em seus campos de atuação. 

“Nasceu com a ambição de ser referência, oferecendo o que a medicina tem de melhor para o tratamento dessas doenças”, ressalta o diretor executivo, Henri Tannus Boteon. Segundo ele, até o momento, nenhum hospital da cidade oferece as mesmas condições da nova Unidade, os dois equipamentos de hemodinâmica são os mais modernos da região, com equipe médica multiprofissional de excelência e presença de cardiologista intervencionista e neurologista vascular todos os dias.

24 leitos totalmente equipados e dedicados a patologias cardio-neuro-vascular.

A Unidade é composta por um setor de hemodinâmica com capacidade para realizar mais de 450 procedimentos/mês e 24 leitos totalmente equipados e dedicados a patologias cardio-neuro-vascular. Também produzirá diversos dados para pesquisa no campo da embolização de aneurismas cerebrais.

“Somos pioneiros na região a oferecer o procedimento de plastia mitral percutânea para tratamento da válvula do coração sem a necessidade de cirurgia, com procedimento minimamente invasivo.” explica o diretor.

Com esse novo serviço o Centro Médico se consolida como referência para tratamento de cardiopatias estruturais e de angioplastias complexas. Também oferece o que há de mais moderno em hemodinâmica, como correção de aneurismas complexos de aorta, com próteses ramificadas e fenestradas, embolização de miomas, tumores de fígado, tratamento de artéria periférica e neurointervenção para tratamento agudo do AVC, fundamental para proporcionar um menor nível de sequela.

“Nas doenças cardíacas e neurológicas, a rapidez do atendimento, a precisão do diagnóstico e a eficácia do tratamento, fazem toda diferença”, finaliza Henri.

Fonte: Rosana Fleming Coelho
Conceptu Comunicação & Marketing

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *