Ibraflor pede ajuda à Frente Nacional dos Prefeitos para garantir funcionamento das floriculturas

Apesar do aval dos Governos Federal e Estadual, algumas Prefeituras estão multando as floriculturas e gardens centers que já abriram as portas para a venda de flores e plantas ornamentais, visando o Dia das Mães, no próximo domingo. Em ofício encaminhado ao presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, Jonas Donizette, o Instituto informa sobre a importância da data para o setor e sobre os prejuízos que podem chegar a R$ 1,36 bilhões.

O Ibraflor – Instituto Brasileiro de Floricultura -, órgão que representa, assiste, orienta e defende os interesses do setor de flores e plantas ornamentais no Brasil, encaminhou ofício ao presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, Jonas Donizette, solicitando que ele oriente com urgência os prefeitos de todo o país para que validem a autorização do Governo Federal, permitindo a abertura e funcionamento das floriculturas e garden centers na quarentena.

Essa autorização consta do ofício do Comitê de Crise COVID-19, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA -, lembrando que esses estabelecimentos são incluídos como de “atividades essenciais” por comercializarem produtos agropecuários. “Nosso pedido é no sentido de que os prefeitos promovam a flexibilização dos Decretos Municipais que estabelecem as medidas de prevenção e controle do coronavirus, permitindo a abertura e funcionamento das floriculturas e garden centers imediatamente”, explica Kees Schoenmaker, presidente do Ibraflor.

A solicitação deve-se à proximidade do Dia das Mães, no próximo domingo, 10 de maio, considerado o Natal dos produtores de flores e plantas ornamentais por ser o melhor período de vendas para o setor. A urgência da orientação aos prefeitos é necessária pois, apesar da abertura das floriculturas e gardens centers já estar também autorizada também no Estado de São Paulo pela Secretaria da Agricultura por meio da Nota Técnica da Secretaria de Agricultura e por ofício do secretário da pasta, Gustavo Junqueira, alguns estabelecimentos estão sendo multados e fechados no interior e litoral de São Paulo, mesmo com a apresentação de toda essa documentação.

“Na qualidade de presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, pedimos que o sr. interfira junto aos governantes municipais para que essas autorizações sejam validadas nas demais Prefeituras de todo o Brasil. O prejuízo do setor, hoje, já é enorme. Para o mês de abril, a estimativa é de, aproximadamente, R$ 669,8 milhões para toda a cadeia. Até o final de maio, não havendo mudança no cenário, este déficit alcançará R$ 1,36 bilhões, resultando na falência de 66% dos produtores e o desemprego de mais de 150 mil trabalhadores apenas no Estado de São Paulo”, explica.

Comunicado aos prefeitos

Atendendo ao pedido do Ibraflor, Jonas Donizette comunicou às Prefeituras de todo o Brasil por meio de publicação no Twitter da Frente Nacional de Prefeitos: “Covid-19:  o comércio de flores faz parte do setor agropecuário e, por isso, é reconhecido como serviço essencial, conforme a Portaria 116, de 26 de março de 2020. Em São Paulo, a partir de uma Nota Técnica do Governo do Estado, esses estabelecimentos podem funcionar com as portas abertas e com todos aqueles cuidados que são essenciais para este momento que estamos vivendo”.

“O Ministério da Agricultura e a Secretaria de Agricultura de São Paulo já autorizaram, por meio de ofícios e notas técnicas, o funcionamento desses estabelecimentos, decisão importante, em especial pelo fato do Dia das Mães ser a principal data para as vendas do setor. A abertura deve ser feita seguindo todos os protocolos de segurança”, disse em nota o prefeito e presidente da FNP, Jonas Donizette.

Ceasa Campinas

O Ibraflor também pediu a Jonas Donizette, na qualidade de prefeito de Campinas, a liberação das vendas no varejo no Mercado de Flores e Plantas da Ceasa e nas floriculturas e gardens centers da cidade. Jonas anunciou em sua live de segunda-feira ter autorizado esse varejo, desde que atendidas todas as exigências sanitárias. De acordo com a presidente da Associação Comercial e Industrial de Campinas (ACIC), Adriana Flosi, estão cadastradas na cidade 180 floriculturas que podem ser beneficiadas pela abertura desse tipo de comércio, às vésperas do Dia das Mães.

Para abertura ao público, as floriculturas e garden centers deverão adotar todas as medidas sanitárias de proteção contra a disseminação da Convid-19, como a restrição do número de pessoas, higienização adequada, uso de máscaras e distanciamento mínimo entre os clientes.

O Ibraflor lembra que as flores emocionam e podem simbolizar o abraço no Dia das Mães, em um momento quando é difícil aceitar a não recomendação de contato pessoal, justo no dia dedicado a elas. “As flores são um dos poucos presentes capazes de ativar sentimentos e fazer com que as mães se sintam ainda mais queridas, lembradas e amadas no dia em que, tradicionalmente, era para estar rodeada e sendo paparicada pelos filhos”, lembra Kees.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *