Inteligência artificial no mundo dos investimentos

A inteligência artificial está em todos os lugares. Está em todas as áreas, desde uma simples escolha de roupas até em cirurgias complexas, lá está ela, a estrela tecnológica da vez, auxiliando na tomada de decisão, como o intuito de minimizar o erro humano.

Na área financeira também temos várias iniciativas de utilização de inteligência artificial. O aprendizado de máquina propicia uma melhora constante nas decisões, pois os novos dados vão se incorporando automaticamente e formando novos caminhos, mais assertivos. Um exemplo disso são os robôs advisors, conselheiros digitais de investimentos que aprendem sozinhos com o comportamento diário do mercado. É isso, mesmo. Investir na bolsa com ajuda da inteligência artificial já é uma realidade.

Mas mesmo que seja uma tendência, ainda estão muito no início de sua caminhada. Um bom financial advisor, ou conselheiro financeiro, humano, com experiência de décadas no mercado, se apresenta como a melhor opção para quem está querendo trilhar o caminho do ouro e de outros ativos.

Mais do que dizer em que hora comprar ou vender um ativo, esse consultor focará no planejamento e balanceamento da carteira de ações, minimizando os riscos e maximizando as oportunidades de lucro, com base em histórico, mas, principalmente, no seu conhecimento e percepção dos movimentos dos diversos players em cada segmento.

Como exemplo, cito a queda das ações da Petrobras, há pouco tempo, quando havia a ameaça de intervenção do governo. Quando grande parte do mercado ficou posicionado apostando que as ações ficariam estáveis, mesmo diante desse cenário, em uma operação intraday, aconselhei a quem me assistia a se posicionar para venda, pois já havia visto situações semelhantes, mas não iguais. O resultado foi uma queda de mais de vinte por cento, que rendeu a quem seguiu minha indicação algo próximo de um lucro de um ano nesse mesmo papel.

A tecnologia está aí para nos ajudar, mas a percepção humana de movimentos da sociedade ainda não consegue ser reproduzida pelos robôs. Recorrer a um financial advisor, ou consultor financeiro, para simplificar, é sempre o melhor caminho, para que o capital do investidor não fique exposto às intempéries do mercado que estamos enfrentando no momento.

Rogério Araújo é gestor e consultor financeiro, líder educacional da corretora de investimentos Vítreo e fundador da Roar Educacional Consultoria 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.