Intercâmbio entre família reúne pais e filhos que buscam estudos e diversão nas férias

Procura por programas que reúnem pais e filhos vem crescendo nas agências

Os programas de intercâmbio estão cada vez mais familiares e viajar sozinho para outro país não é a única opção para jovens ou adultos que desejam aprender ou aprimorar outro idioma. O intercâmbio em família reúne pais e filhos com os mesmos objetivos: estudar uma língua estrangeira e ainda aproveitar o período de férias para se aventurar um outro país.

Na Imai Bilingual Solutions, agência de Sumaré especializada em intercâmbio, a procura por programas que reúnem toda a família vem crescendo nos últimos anos. Denise Imai, dona da agência, explica que um dos motivos é que os pais querem aproveitar as férias para aprender uma outra língua, mas sem abrir mão da família. “Fazer intercâmbio para aprender outro idioma não é mais uma experiência única dos jovens. Muitos adultos, casados e com filhos estão aproveitando a oportunidade para estudar em família”, comenta.

Uma das opções que a agência oferece é o Summer Camp Pais & Filhos, realizado no período de férias. Pais e filhos podem aprender ou aprimorar um outro idioma e ainda aproveitar para se divertir e conhecer outro país. Os programas são desenvolvidos para atender as necessidades de cada faixa etária. Enquanto os adultos participam das aulas, os filhos realizam atividades especialmente elaboradas para elas, e de acordo com as diferentes idades. E depois do curso, a família tem o restante do período para aproveitar o país como turista em férias.

Para Denise, além de unir a família, outra vantagem do programa é a segurança, já que os jovens terão todo o apoio dos pais nas experiências fora do país. “Também é uma oportunidade para os pais observarem como os filhos se comportam e encaram os desafios de um programa de estudos no exterior antes de realizarem um intercâmbio sozinhos no futuro”, avalia.

Em 2018, o número de intercâmbios cresceu 20,5%, comparando com 2017. Canadá, Estados Unidos e Reino Unido foram os destinos mais procurados. Denise explica que os intercâmbios não precisam ser de longa duração e que cursos de um mês, por exemplo, são suficientes para o jovem ganhar mais autonomia e aprimorar ou até mesmo aprender o básico de outra língua. Por isto, o período de férias escolares é um dos mais procurados.

Fonte: Ivone Moreira – jornalista
ImPauta Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *