CIESP quer promover digitalização de 40 mil indústrias do Estado de SP em quatro anos

Projeto inédito pode aumentar em até 50% a capacidade produtiva das indústrias paulistas

O Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) lançou o projeto “Jornada da Transformação Digital”, que pretende oferecer consultoria e suporte profissional para que 40 mil indústrias paulistas modernizem seus sistemas nos próximos quatro anos. A entidade estima que o impacto da mudança possa aumentar em até 50% a produtividade das empresas que aderirem à transformação.

O projeto foi desenvolvido pelo Senai/Sebrae/Ciesp/Fiesp e terá custo zero para as indústrias associadas ao Ciesp na fase de diagnóstico, treinamentos e de revisão nos modelos de negócios. O projeto tem subvenção de R$ 100 milhões da área de educação com o Senai e de mais R$ 125 milhões do Sebrae.

Com a jornada, o Ciesp espera ajudar a transformar o dia a dia, especialmente, das indústrias de pequeno porte, que hoje são 48 mil no estado de São Paulo, o que representa 92% das empresas do ramo industrial.

O presidente do Ciesp, Rafael Cervone, lembra que a indústria 4.0 prevê a automação industrial e integração de diferentes tecnologias, dentre as quais está a digitalização das atividades industriais, a computação em nuvem, a internet das coisas, a inteligência artificial e o uso da robótica. Tudo no sentido de melhorar processos e a produtividade.

“A jornada será essencial para apoiar a transformação digital nas empresas, modernizando a tecnologia e os modelos de negócios. O impacto será muito significativo, trazendo competitividade e maturidade digital”, diz Rafael.

Regional Campinas  Para o diretor do Ciesp-Campinas, José Henrique Toledo Corrêa, a Jornada de Transformação Digital “é estratégica para aumentar a competitividade, a capacidade produtiva e o grau de inovação da indústria, entre outros tantos benefícios”. Corrêa acrescentou que em recente pesquisa de Sondagem Industrial realizada junto as empresas associadas da Regional Campinas foi perguntado sobre qual o grau de inovação e/ou novas tecnologias.  As respostas indicaram que 11% das empresas tem alto grau de inovação, enquanto 11% delas disseram que o grau é baixo. Já 30% das respondentes afirmaram que ainda não têm uma avaliação sobre o tema e 48% das empresas confirmaram que estão iniciando esse processo de inovação. “Isso demonstra a importância desse programa de transformação digital”, acrescentou o diretor.


Roncon & Graça Comunicações
Jornalistas: Edécio Roncon / Vera Graça

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.