Loja cria “caixas surpresa” para oferecer produtos aos clientes em época de lockdown

Comerciantes precisam ser cada vez mais criativos para vender os produtos em estoque, movimentar a economia, garantir os empregos e evitar o fechamento do negócio. Além de surpreender o cliente, ideias criativas estimulam as vendas, fidelizam o cliente e o faz sentir-se especial.

Com o abre e fecha do comércio e o vai e vem das restrições de circulação de pessoas devido a pandemia da Covid-19, cada vez mais as lojas pareciam estar limitadas às vendas pela internet se não fosse a criatividade dos comerciantes para movimentar os seus negócios. E é justamente criatividade que não falta à artista plástica Silvana Chiodi, responsável pela administração de duas lojas – de decoração e de moda feminina -, em Holambra. A Casa Bela Decorações, por exemplo, foi um dos estabelecimentos que mais sentiu a forte queda nas vendas, principalmente com a redução dos turistas devido o adiamento dos grandes eventos na cidade.  Preocupada com os estoques de produtos de decoração adquiridos antes da pandemia e sem muitas alternativas para comercializá-los, ela decidiu ir além das disputadíssimas ofertas nas redes sociais: montou “caixas surpresa” com variedades de “ofertas” da loja e as enviou para “degustação” dos clientes.

Loja vai ao cliente

“Se o cliente não pode vir até a loja, temos que dar um jeito de ir até eles. Na loja de roupas, já encaminhávamos sacolas com sugestões para os clientes. Por que também não mandar os artigos utilitários e de decoração?”, resume Silvana. Primeiro, ela analisou o perfil de seus clientes, verificando as linhas e os tipos de produtos que eles costumavam adquirir, e anotou os endereços. Selecionou o que mandar para cada um. A loja investiu na aquisição de caixas de plástico resistente (45 X 15), em envelopes e em papel para as cartinhas personalizadas. Os produtos foram higienizados, envoltos separadamente em plástico bolha ou em papel de seda, organizados nas caixas e entregues nas casas ou escritórios dos clientes selecionados.

Silvana imaginou oferecer produtos para deixar os ambientes mais aconchegantes, alegres e bonitos para quem está trabalhando (em home-office) ou estudando (ensino à distância) em casa. Separou, ainda, utilitários, como xícaras, copos, utensílios para cozinha etc., considerando que também aumentaram muito as refeições feitas nos lares. “Fazer as refeições com a família, em casa, virou o principal programa para muitos. Assim, arrumar a mesa com uma louça diferenciada garante um outro sabor aos alimentos”, sugere a esperta gerente.

 “Vasos, cachepôs e floreiras de várias cores, formatos e tamanhos para comportar flores e plantas estão tendo uma excelente saída”, comenta Silvana. Não é por acaso. Segundo o Ibraflor – Instituto Brasileiro de Floricultura – com mais gente ficando em casa, o consumo de flores e plantas ornamentais cresceu 10% no ano passado. “Nossos vasos e cachepôs são bem diferenciados e não há quem resista em valorizar as suas plantas com eles”, diz.

As etiquetas de preços acompanham cada produto para que o cliente já saiba quanto vai pagar por ele, assim como uma relação de cada item, necessária para o transporte de mercadorias. O cliente escolhe os produtos que deseja: pode ser para ele, para alguém da família, ou para presentear uma pessoa querida, aproveitando o fato de que ir pessoalmente às compras está cada vez mais difícil. A pessoa escolhe os produtos e pode realizar o pagamento por meio de depósito ou transferência bancária, pix ou, ainda, utilizar o cartão de débito ou crédito no momento em que o entregador for retirar a caixa com os produtos que o cliente não deseja comprar.

Carta personalizada

Na carta personalizada com o primeiro nome do cliente a gerente explica a proposta, deixa-o à vontade para escolher ou devolver os produtos, explica os procedimentos e oferece o telefone e Whatsaap para o esclarecimento de dúvidas. Junto com a carta, acompanha a relação dos produtos enviados. “Esperamos que, ao receber essa caixa, você tenha tido uma experiência encantadora”, escreve, ao se despedir. As caixas ficam nas casas dos clientes por, aproximadamente, um dia.  “A aceitação tem sido excelente. Geralmente, os clientes acabam comprando entre 20% e 45% dos produtos oferecidos. Além de adquirir produtos para eles próprios, acabam também comprando presentes para amigos e familiares, aproveitando que a loja foi até eles. Muitos retornam solicitando alguns produtos que viram nas fotos enviadas e, assim, ainda conseguimos vender um pouquinho mais e estimular o delivery”, comenta Silvana

O sistema deu certo e a loja pretende intensificar as vendas por “caixas surpresa” também em datas especiais, como Dia das Mães, dos Namorados e dos Pais, entre outras. O segredo, de acordo com Silvana Chiodi, é a percepção do que os clientes desejam, do que podem estar precisando, o que costumam comprar e os preços a pagar. Por enquanto, nas “caixas surpresa” estão sendo enviados produtos que custam de R$ 10,00 a R$ 250,00. “Apesar de muito distantes do nosso faturamento pré-pandemia, não estamos de braços cruzados esperando que a situação melhore. Reinventamos-nos a cada dia. E, o mais compensador, é que estamos fidelizando nossos clientes. Na devolutiva, a maior parte conta que achou a ideia supersimpática, nos agradecem pela atenção e dizem que querem continuar recebendo as nossas sugestões”, comemora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *