Prefeitura de Nova Odessa vai aderir ao Cismetro, o Consórcio de Saúde da Região Metropolitana

Por Diretoria de Comunicação da Prefeitura de Nova Odessa/SP

Seguindo o exemplo de mais de 20 cidades da região – incluindo, mais recentemente, a vizinha Americana –, o prefeito Cláudio José Schooder, o Leitinho, anunciou que a Prefeitura de Nova Odessa vai aderir ao Cismetro (Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Metropolitana de Campinas), através do qual podem ser adquiridos com mais agilidade e economicidade serviços médico-hospitalares como exames, cirurgias e consultas com médicos especialistas – sempre conforme a demanda municipal.

Projeto de Lei autorizativo, de autoria de Leitinho, foi aprovado por unanimidade na sessão da Câmara de Vereadores desta segunda-feira (25/10). Um plano de trabalho da Secretaria Municipal de Saúde com relação às possibilidades trazidas pela adesão ao Cismetro deve ser apresentado em breve pela nova gestão da pasta.

Segundo o prefeito Leitinho, “trata-se de uma decisão que vai resolver uma série de problemas que enfrentamos hoje na contratação de exames e consultas, e que vai agilizar e melhorar ainda mais o atendimento que oferecemos na nossa Rede Municipal ao cidadão de Nova Odessa, e com economia para os cofres públicos”.

O objetivo da gestão municipal é “ampliar o atendimento na área de Saúde de forma universalizada, integralizada e equitativa para a execução de ações e serviços de saúde, nos níveis de complexidade básica, média e alta, atuando, especialmente, para dar efetividade a programas de Saúde da Família, serviços de atendimento médico nas Unidades de Saúde, serviços de diagnóstico laboratorial e por imagem”.

As tratativas e estudos de viabilidade da adesão ao Consórcio Regional veem desde junho, quando o prefeito e secretários municipais foram conversar pessoalmente com o colega Marquinho de Oliveira, prefeito de Morungaba, para conhecer o funcionamento do Cismetro naquela cidade. Em seguida, em julho, a visita da equipe técnica foi à Prefeitura de Holambra, também consorciada ao organismo.

Em agosto, foi a vez de técnicos do próprio Cismetro fazerem uma explanação a secretários, vereadores e conselheiros de Saúde de Nova Odessa, no auditório do Paço Municipal, para entender as vantagens e a metodologia de adesão da cidade ao órgão, que agiliza e reduz custos na contratação de médicos, exames e cirurgias eletivas pelas 23 cidades consorciadas.

No final daquele mês, novamente uma comitiva de Nova Odessa foi a Paulínia conversar com o secretário de Saúde Fábio Alves e sua equipe gestora sobre as possibilidades trazidas pelo Consórcio para a Rede Municipal de Saúde paulinense.

“Temos essa experiência com o Cismetro já há algum tempo. São muitas vantagens. O Consórcio oferece ferramentas para ajudar os municípios a serem mais ágeis na contração de serviços complementares e horas-médico, e por isso vem se expandindo rapidamente, com a adesão de novas cidades”, explicou o médico sanitarista Fábio Alves aos presentes – incluindo vereadores e conselheiros.

“Quando uma ou mais cidades precisam, é a própria diretoria do Cismetro que ‘corre atrás’ de contratar serviços de médicos, inclusive especialistas, fazem a escala, gerenciam e, o principal, pagam um valor único por plantão, evitando a concorrência entre as prefeituras. E o gerenciamento das demandas de cada cidade quem continua fazendo é o prefeito, a própria equipe técnica da secretaria municipal de Saúde. É tudo muito bem organizado e gerenciado com muita seriedade, porque todos os prefeitos e secretários estão acompanhando de perto”, comentou o prefeito Cláudio José Schooder, o Leitinho.

Por fim, o ingresso da cidade na Consórcio Intermunicipal e Público “contribuirá para a cessação da contratação de profissionais por meio de RPA (Recibo de Pagamento Autônomo), alvo de apontamentos pelo Tribunal de Contas do Estado e do Ministério Público do Trabalho”, conforme explica a justificativa ao projeto de lei aprovado pelos vereadores de Nova Odessa.

ENTENDA

Sediado em Holambra, o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Metropolitana de Campinas, sem fins lucrativos, não é uma OS e não faz a gestão de unidades de Saúde, tratando-se de uma parceria firmada atualmente por 22 prefeituras, de caráter público e sujeita à fiscalização do TCE-SP (Tribunal de Contas de São Paulo).

O Cismetro tem a finalidade de realizar ações conjuntas em Saúde Pública, incluindo a compra de serviços médico-hospitalares, medicamentos e insumos, “fomentando a qualidade e agilidade dos serviços prestados à população” dos municípios integrantes.

Os municípios consorciados pagam apenas uma taxa mensal de custeio, fixa e rateada igualmente, e podem decidir quantos e quais serviços e exames querem adquirir das empresas fornecedoras previamente credenciadas junto ao Consórcio, segundo uma tabela de valores fixa regional, sem custos ou taxas adicionais. Já são mais de 600 as clínicas, laboratórios e empresas de serviços médicos credenciadas junto ao organismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.